Ads Top

[CRÍTICA] Olga

Titulo: Olga
Diretor: Jayme Monjardim
Roteiro: Rita Buzzar
Distribuição: Europa Filmes
Gênero: Drama, biografia
Ano: 2004




Mais um daqueles clichês previsíveis de relacionamentos amorosos em meio á momentos inoportunos rodeados de problemas e colapso social. 


Para se entender este filme é necessário saber-se de que ele não é apenas uma obra cinematográfica, mas um filme histórico baseado em fatos e acontecimentos verídicos durante o período do regime militar da segunda guerra mundial que busca retratar a vida de uma militante comunista alemã de origem judaica, filha de Eugénie Gutmann Benário e Leo Benário, advogado e membro ativo do partido Sócio-Democrata alemão.

Enquanto olga atuava firmemente em um partido que lutava pelo comunismo durante o regime nazista, seu pai era de um partido que ia contra seus pensamentos e ideologias, o que a levou deixar sua casa e se mudar para Berlim.

Olga era casada com Otto Braun, mas veio á separar-se do mesmo em 1931 após uma série de acontecimentos á qual teve que se ocupar e manter foco, um destes acontecimentos é o treinamento militar e politico que estava recebendo.

O partido comunista ao qual Olga era aliada, acabou enviando-a para o Brasil juntamente com Luís Carlos Prestes para liderarem uma revolução armada contando com o apoio de Moscou. Após o grande fracasso que sucedeu ao plano do partido, Olga se viu obrigada a continuar vivendo no Brasil clandestinamente.

Alguns meses se passaram e Olga acabou sendo deportada para o seu país de origem durante o mandadto de Getúlio Vargas. Após ser presa na Alemanha Olga descobriu que estava gravida de Luis Carlos Prestes e concebendo sua filha durante seu período de cárcere.

Olga foi executada pela Alemanha Nazista em um campo de concentração, com outros 199 prisioneiros em 23 de abril de 1942 no auge dos seus trinta e quatro anos. 

Você pode ler mais sobre a biografia e vida de Olga neste artigo.

CRÍTICA

Olga é uma obra prima, e um filme maravilhoso para estudos e obtenção de conhecimento, porém, também é extremamente previsível e possui um enredo muito meloso e dramático ao extremo, ao qual o roteirista tenta á todo custo tirar lágrimas do telespectador com melodias fracas, e cenas que não tem conexão alguma naquele momento. 

Baseado mais no romance de Olga com seu marido Luis Carlos Prestes, o filme não foi dos melhores se comparado com outros filmes da categoria da segunda guerra mundial. Se o roteiro tivesse sido mais fiel á obra e vida de Olga, talvez tivessem obtido mais sucesso. 

Mesmo que o filme tenha tido a sorte de ganhar vários prêmios, nenhum deles foi merecedor de fato. Acho que pelo ano da produção, até pode ser que seja um "razoável" da época, mas ainda sim existiram e existem outros filmes da mesma temática muito mais antigos e melhores para se ver em relação á segunda guerra mundial.


Um comentário:

Priscila Ferreira disse...

Eu lembro que assisti esse filme na época da escola, e gostei bastante!

Coisas de Priscila ,
beijos. :*

Tecnologia do Blogger.