Responsive Ad Slot

LANÇAMENTOS

lançamentos

[CRÍTICA] DEJÁ VU

segunda-feira, julho 11, 2016

/ by Vitor Lima
Titulo: Dejá Vu
Roteiro:Bill Marsilii e Terry Rossio
Direção: Tony Scott
Ano:2006
Gênero: Ação | Suspense | Ficção Científica
Distribuição:Sony Pictures
IMDB: 7.0
Avaliação: 7.0


Deja vu é uma produção cinematográfica thriller policial estadunidense produzida por Terry Rossi em parceria com Bill Marsilii e dirigido por Tony Scott.

Quando um atentado terrorista contra a Marinha deixa mais de 531 mortos em Nova Orleans um policial resolve entrar em ação e descobrir uma forma de resolver o problema da melhor forma possível e jamais feita: Viajando no tempo.

O enredo do filme não é somente ficção científica como também suspense e ação. Estrelado por Denzel Washington o filme conta a história do policial da ATF Douglas Carlin que descobre durante as investigações um meio desenvolvido pelo governo estadunidense de viajar no tempo e resolve usar a tecnologia para ajudar uma jovem que é morta durante o atentado terrorista e aparentemente é usada como válvula de escape para o terrorista. 

A história é bem complexa e você nunca consegue definir quando ele está ou não no passado se não houver muita atenção durante a reprodução do mesmo. 

Em todos os filmes que envolvem ou tem em seus contextos o sentimento e o acontecimento de Dejá Vu acabam por sendo espontâneos, diferente do que acontece neste contexto, então não é errôneo afirmar que o personagem principal estava vivendo um Dejá Vu, mas sim, uma viajem no tempo.

Por mais que toda a produção seja espetacular e a sequência de acontecimentos seja incrível, os produtores da obra se esqueceram do real significado do que é um dejá vu, e acabaram se confundindo na escolha, mas isso é o de menos.

Déjà vu significa "já visto" em francês e surgiu no século 18, criada pelo parapsicólogo Émile Boirac.

Você não pode mudar o futuro, mas você pode fazê-lo acontecer de uma forma diferente. Essa mensagem é uma das frases que discorre no filme onde você tem uma breve noção no que pode acontecer nas cenas seguintes que à sucedem.

Me impressionou em todos os aspectos possíveis a forma como a qual os roteiristas conseguiram manipular, pensar e driblar aspectos do filme que pareciam difíceis ao extremos de se contornar, como por exemplo: A sequência de viagens no tempo. Você pode até não perceber mas até mesmo as viagens do coadjuvante já estavam previstas na linha do tempo, ele não fez nada à não ser seguir o seu futuro que já estava definido e isso sim é impressionante. 

A nota do IMDB não poderia ter sido melhor: 7.0, e esta é a nota que a nossa redação decidiu deixar para esta obra.

Trailer

Nenhum comentário

Talvez você se interesse...
© all rights reserved
made with by Google