Responsive Ad Slot

LANÇAMENTOS

lançamentos

[RESENHA] O conto do mendigo - M. Hinke

terça-feira, outubro 18, 2016

/ by Vitor Lima
Titulo: O conto do mendigo ou o manual prático de bazófias, fanfarronices, patifarias e demais coisas anárquicas. 
Autor: M. Hinke
Editora: Chiado
Páginas: 208
Ano: 2015
Onde comprar: Chiado Editora | Travessa
Avaliação: 10/10
Miguel de Cervantes escreveu que não pode haver graça onde não há inteligência. E O Conto do Mendigo ou o Manual Prático de bazófias, fanfarronices, patifarias e demais coisas anárquicas confirma esta máxima do novelista espanhol. A função da dramaturgia também é questionar, principalmente numa época em que a política no Brasil se confunde muitas vezes com o roteiro de uma grande comédia. O Conto do Mendigo, texto iconoclasta, jocoso e subversivo, preza pela argúcia. Afinal, uma obra que não tem a capacidade de transformar o leitor está desprovida de méritos.



Subversivo, iconoclasta, jocoso, e um tanto subjacenteSem a menor sombra de dúvidas, a literatura brasileira ficou melhor com a publicação desta obra prima intitulada "O conto do mendigo". 

O Manual Prático de Bazófias, Fanfarronices, Patifarias e Demais Coisas Anárquicas, não é apenas um livro. O conto do mendigo foi um "desabafo" por Lalá Schneider para os teatros e adaptado por M. Hinke. O livro passou toda sua infância e boa parte de sua adolescência colhendo poeira dentro de uma gaveta qualquer em sua casa. Tomando notoriedade, após ser publicado pela Chiado Editora de Portugal.

O livro é nada mais, nada menos, que uma peça de teatro que teve êxito com ajuda de Lala Schneider (primeira-dama do teatro paranaense, para o Festival de Teatro de Curitiba).

Com uma narrativa leve e despretensiosa, M. Hinke, conduz com maestria e leveza suas críticas à diversos tópicos. Entre eles podemos destacar: Sociedade, Política, Religião, Decisões.

A peça teatral adaptada para livro contem nove personagens ao todo em seu enredo, sendo eles: Um mendigo, um bardo, uma mulher, um abade, um sacristão, um soldado, um alferes, quatro soldados, um juiz.

A peça/obra atacam de forma rigorosa/severa a hierarquia presente na sociedade, a futilidade dos governantes, o caráter de julgo duvidoso de figuras religiosas, a arrogância que o poder trás, a ignorância e as mentiras presentes nos discursos dos governantes.

A peça em si gira em torno do personagem principal (o mendigo), que é quem faz a maioria das críticas dos tópicos citados acima, os demais personagens são uma composição necessária imposta na escrita para atacar o poder militar e religioso em si.

A peça é satírica, jocosa, iconoclasta e subversiva e possui um poder devastador de transformar os pensamentos acerca dos assuntos que constituem a sociedade.

Um livro perfeito para todo leitor exigente com escrita e história, um roteiro rico em detalhes, personagens e críticas.
-

A diagramação está perfeita em todos os aspectos possíveis. O detalhe envelhecido da capa ajuda na ênfase que se faz necessária para transparecer os assuntos nele abordado. 

Nenhum comentário

Talvez você se interesse...
© all rights reserved
made with by templateszoo