Ads Top

Literatura erótica: reforma, tabu e comercialização

Google Images

Ainda é um tabu o erotismo literário. A literatura erótica é o gênero literário que usa o erotismo e a sensualidade humana em forma de escrita para despertar e instruir o leitor sobre às práticas sexuais. Algumas pessoas tendem a vetar obras literárias eróticas afirmando que este conteúdo não deveria ser um conteúdo vendido como qualquer outro por ai, afinal, é pornografia - Ao menos é o que pensam as pessoas desprovidas de um senso de conhecimento mínimo para opinar - A literatura erótica não deve ser considerada pornográfica, até mesmo por que a grande maioria não inclui em suas páginas imagens de sexo explícita.

Enquanto o erotismo trabalha com a sensualidade em forma de prosa poética, contos e histórias inspiradas no amor, a pornografia é inspirada em nas práticas sexuais mais explícitas - Ambas possuem cenas e narrativas sensuais, a forma com a qual são abordadas é o que as diferencia. 

Para entender melhor a diferença entre erotismo e pornografia, obscenidade:
A Pornografia é pura e simplesmente uma descrição dos prazeres carnais; o erotismo é a mesma descrição revalorizada, com base em um ideal de amor ou da vida social. Tudo o que é erótico é também necessariamente pornográfico. É mais importante fazer a distinção entre o erótico e o obsceno. Neste caso, considera-se que o erotismo é algo que torna a carne desejável, a mostra em seu esplendor e florescimento, inspira uma sensação de saúde, beleza e prazer, enquanto que a obscenidade desvaloriza a carne, que é associada com sujeira, imperfeições e palavras sujas.


Desde o início dos tempos a literatura erótica foi vetada, de acordo com historiadores o motivo é simples: A literatura erótica incita o leitor à práticas sexuais nas quais são consideradas sujas, impuras e pecaminosas, porém, isso nunca impediu ninguém de escrever a respeito.

Durante os anos de 1943-1954 todas as obras literárias que estavam inclusas de alguma forma dentro deste gênero literário foram completamente destruídas pelo governo militar - Magistrados ingleses - várias cópias foram queimadas e impedidas de serem distribuídas.

Porém, durante o século XVIII houve uma crescente popularidade dentre os romances na Inglaterra, o que fez com que o erotismo fosse ampliado e recebesse novas concepções e adaptações para o cinema nos séculos seguintes. O romance mais famoso no século dezoito foi "Fanny Hill" escrito por "John Cleland", foi  considerado revolucionário e estabeleceu o novo padrão do que era ou não imoral na época. 

Atualmente, em pleno século XXI a literatura erótica ganhou as estantes e prateleiras das livrarias e são um sucesso absoluto de vendas. As obras de maiores alcances de público durante o ano de 2016 foram a trilogia "Cinquenta tons de cinza" que recebeu uma adaptação para o cinema, e "a irmandade da adaga negra".

O erotismo recebeu uma nova concepção no século XX, o que permitiu o uso do termo em obras literárias. A nova concepção conservadora preza que é considerado erótico "tudo o que é sensual ao extremo de não costume popular" - Ou seja, qualquer foto ou vídeo que não é reproduzido de forma costumeira perante a sociedade.

Mas, convenhamos que, no fundo, no fundo, todos nós temos um pouco de sensualidade e erotismo em nós. Logo, logo iremos criar uma publicação com algumas obras literárias eróticas para que você querido leitor aprecie ao máximo.

@tafarely

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.