• NOVIDADES

    sábado, fevereiro 04, 2017

    [ENTREVISTA] Ítalo Guimarães — autor de "Poker com diabo"

    Ítalo Guimarães - Reprodução | Acervo Pessoal | Facebook

    Ítalo
     Guimarães (24) é paulista, típico amante de poker, cachimbo e rpg. Ítalo é aquele caso raro que todo mundo ama, seu amor pela escrita vem de berço. Influenciado pelos jogos de rpg, Ítalo iniciou sua primeira escrita. Sua obra "Poker com diabo" teve uma recepção incrível por parte do público amante da literatura. E é com ele que iremos ter dois dedos de prosa hoje.

    1. Como nasceu o seu relacionamento com a escrita?

    R: Desde pequeno, escrevia pequenos poemas, textos de algumas páginas (que, para a visão de uma criança, já achava ser um livro enorme) e (um dos principais fatores até hoje) descrevia minha narrativa em jogos de RPG que narrava ou jogava. Então pode-se dizer que o meu relacionamento com a escrita foi por causa de jogos e por causa de filmes (afinal que criança nunca “chupinhou” um filme para brincar com seus bonecos).

    2. Qual foi o primeiro livro que você escreveu? E como surgiu a ideia de escrever um livro?

    R: Meu primeiro livro foi “Poker com o Diabo”, um livro de suspense. A idéia surgiu a muito tempo atrás (mais de uma década), quando estava em casa olhando alguns de meus baralhos (colecionava antes alguns) e, após um período exaustivo de ensaios e apresentações da peça “O Auto da barca do inferno”, fiquei imaginando como seria uma partida de poker com o senhor das trevas, valendo a liberdade do inferno.

    3. Quais suas principais inspirações literárias?

    R: Poderia passar dias citando nomes, mas em suma, Sir Arthur Conan Doyle, Edgard Alan Poe, André Vianco, Stephen King e ( mesmo não sendo fã da literatura brasileira clássica) Aluísio Azevedo e Gil Vicente.

    4. O que você considera mais difícil durante a escrita de uma história?

    R: Em geral, fazer os diálogos não parecerem maçantes, e dar um desenvolvimento para a história para que ele não seja muito devagar, mas também não seja apressado demais.

    5. Quais seus livros? E qual deles você mais gostou de escrever?

    R: Por enquanto, só tenho um livro publicado, o “Poker com o Diabo”, mas já escrevi mais um que está em processo de revisão já. Atualmente, posso falar que, por mais que eu escreva outros livros depois do meu primeiro, o Poker vai ser sempre a menina dos meus olhos e minha obra-prima.

    6. Qual de seus personagens você mais gosta?

    R: O próprio Diabo e Niev, um pequeno e desengonçado diabrete que faz de tudo para agradar seu senhor.

    7. Como você sente quando recebe um comentário positivo acerca de sua obra?

    R: É como a gasolina para um carro, faz você seguir sempre em frente e com mais empenho. Graças a esses comentários é que estou firme na luta literária e dando passos cada vez maiores.

    8. Pretende escrever novos livros? Tem algum projeto em mente chegando?

    R: Sim, tenho alguns projetos novos rodando, um já está em revisão (conforme dito acima) e estou escrevendo o terceiro, a publicação deles é que são outros 500, pretendo lançá-los em breve, mas não tenho data certa ainda.

    9. Qual gênero literário você mais se identifica?

    Para ler, fantasia, suspense, ação, aventura, “A saga do herói”, terror e um pouco de drama. Para escrever: Drama, suspense, terror.

    10. O que você diria para as pessoas que estão conhecendo tanto você, quanto a sua escrita agora?

    Ítalo Guimarães | Reprodução
    R: “Sejam bem vindos ao inferno!”, brincadeira… Estou aqui para esclarecer qualquer dúvida, prosear bastante sobre qualquer assunto e não apenas ter uma relação escritor leitor, mas sim de pessoa pra pessoa! Venha ler e conversar!

    11. O que as pessoas devem esperar da sua escrita?

    R: O que podem esperar de minhas obras, além de um enredo trabalhado, uma reflexão sobre nossas atitudes em vida, assim como minha inspiração Gil Vicente, eu tento retratar o ser humanos e seus atos através de metáforas e mensagens indiretas entre as linhas do texto.

    12. Qual passagem do seu livro te marcou mais? Existe um trecho que você goste mais que os outros?

    O próprio Diabo e o Homem de Branco.
    O meu trecho favorito do livro é esse abaixo:

    “Um sussurro é ouvido na mesa, o Diabo olha para o Homem de Branco e para o ser todo coberto em trapos, ninguém falava nada, mas o garçom estava olhando nitidamente para a parteira. O Diabo se vira para sua adversária e percebe que ela mexia os lábios, sussurrando algo, dando um pouco mais de atenção ele percebe que ela rezava, orava o que parecia ser um “Pai nosso”. — Rezando, senhorita Slain? Logo a senhora que nunca foi muito religiosa, que poucas vezes rezou na vida, que nunca foi à igreja, que violou um dos principais e mais importantes mandamentos de Deus, que foi não matarás.Verônica se manteve de cabeça baixa e ainda rezava sua prece, seu sussurro era um pouco mais alto, suas palavras agora mais nítidas. O Diabo olha mais uma vez para o Homem de Branco, que não tirava os olhos dela e diz: — Dá para acreditar nisso? Uma mulher, uma assassina, rezando numa mesa de poker, no inferno, chega a ser hilário.Num rápido movimento, o Diabo tira seus óculos e bate as duas mãos na mesa, assustando a todos ali presentes, olha diretamente nos olhos de Verônica Slain e grita: — ACHA MESMO QUE ELE VAI TE OUVIR AQUI?! ACHA QUE PODE COM ESSAS PALAVRAS VAZIAS SE LIVRAR DESSE TORMENTO?! NUNCA TEVE FÉ EM NADA E AGORA QUER TENTAR?! ACHA MESMO?!Os olhos de Verônica estavam esbugalhados e demonstravam o medo que sentiu ao encaras aqueles olhos negros com apenas dois pontos vermelhos no centro. Ela parou de balbuciar e abaixa a cabeça. O Diabo volta para o seu lugar, se aconchega em sua cadeira e sorri: — Viram só, nem sob pressão, nem diante do perigo sabe ter fé, consegue ser facilmente subjugada, é vergonhoso isso. Bem, vamos ao jogo, já perdemos tempo demais nisso. Liorn faça as honras.”

    13. Como foi a recepção do público com relação ao seu primeiro livro?

    R: Inicialmente retraída, afinal, a imagem e a palavra Diabo espanta a muitos ainda, mais depois com as críticas positivas, eventos e resenhas publicadas, o povo foi se interessando cada vez mais e hoje, depois de 5 meses após a publicação, alcançamos a marca de pelo menos 300 leitores.

    14. O que te inspira a continuar escrevendo?

    R: Conversas, lendas, músicas, outros livros, comentários, desenhos (animados, HQ ou um simples desenho estático) e a minha vontade de deixar o meu legado literário para o Brasil e para o Mundo.

    15. O que você diria para alguém que está iniciando a escrita do seu primeiro livro?

    R: Nunca pare de escrever, você deu o primeiro passo, continue a andar sempre, escreva sobre o que quiser e quando quiser, o mundo literário te dá essa liberdade. Não se frustre com erros, falhas e até mesmo críticas negativas (ou até mesmos destrutivas), Não se pode agradar a gregos e troianos ao mesmo tempo, muitos vão te elogiar, muitos vão te criticar, mas vai apenas de você fazer o que quer e o que gosta, sempre. E muito cuidado no mercado editorial, existem boas editoras, mas existem aquelas que apenas quer seu dinheiro e nada mais.

    16. O que você tem a dizer para os leitores do catraca seletiva?

    R: “Sejam bem vindo ao inferno de novo”… Brincadeira… Acompanhem esse site de iniciativa, pois nele, pode-se encontrar boas leituras de nossas terras, mostrando que não é só do exterior que vem coisa boa em escrita!

    17. onde podemos encontrar seus livros para compra? Qual você indica que nossos leitores conheçam primeiro?

    Como só tenho um livro:

    18. É chegado ao fim da nossa entrevista. Muito obrigado pela oportunidade e pela paciência. Sucessos !

    Eu que agradeço pela oportunidade e agradeço o prestígio e o carinho dispensado.

    Nenhum comentário: