• NOVIDADES

    sexta-feira, fevereiro 24, 2017

    [RESENHA] Gertrude Sabe tudo - L. Rafael Nolli

    Gertrude sabe tudo | Rafael Nolli | Gulliver Editora | Reprodução

    Antes de mais nada, é importante frisarmos que esta não é uma história convencional. Como toda história criada para o público infanto-juvenil Gertrude sabe tudo não poderia ser diferente, não totalmente. Essa não é uma história com final feliz, com reflexões exacerbadas e com toda certeza não é uma história comum.

    Gertrude era seu nome, não havia ninguém que não a conhecesse em toda a rua, pense em uma garota que sabia falar sobre qualquer assunto, qualquer assunto mesmo. Diferente de todas as outras, ela adorava o conhecimento e explorava o desconhecido em busca de novos "por quês" dentro dos livros, porém, sua família não achava o mesmo, visto que a inteligência da menina incomodava os vizinhos e as pessoas da rua que achavam que a menina era verborrágica (pessoa que fala demasiadamente coisas desnecessárias), e o discurso era sempre o mesmo: Nunca entendi qual a necessidade de alguém se saber além do que é ensinado na escola, afinal, eles precisam saber apenas o suficiente para passar de ano e isso deveria ser necessário.

    A garota que tudo perguntava e que tudo respondia era elétrica e não existia uma pessoa sequer na cidade que não conhecesse seu dom maravilhoso de conversa. Todos conheciam Gertrude, todos. A inteligência da menina incomodava a família em geral, inclusive os vizinhos e as pessoas com quem cruzava na rua, desde então, a família começou a acatar as reclamações que outrora ouvira das pessoas ruas e em todos os lugares que fossem, e decidiram tomar uma providência com relação ao saber da garota.

    COMENTÁRIOS



    A obra de Rafael Nolli é de fato extremamente reflexiva em diversos aspectos diferenciados. Eu adoraria dizer que Gertrude é o reflexo dos dias de hoje, porém, não é. Não existem (e se existem, nunca vi) crianças tão apaixonadas pelo saber como Gertrude, em sua fase de idade, a maioria gosta de desperdiçar seu tempo fazendo coisa alguma, ou simplesmente julgando aqueles que fazem. O livro possui uma história leve, um enredo muito bem trabalhado conforme a inteligencia da garota. Rafael Nolli soube conduzir de forma magestral uma história que exigia uma certa complexabilidade e uma visão maior sobre a vida e sobre os interesses pessoais e alheios das pessoas, assim, montou a personalidade única e utópica de Gertrude.

    Rafael escreve de uma forma leve e carinhosa, é possível observar que o autor tem um certo cuidado na escolha de palavras e na forma como conta a história, isso é um reflexo que se perpetua por toda a obra.  De uma maneira simples e objetiva ele nos apresenta uma série de questionamentos e pensamentos acerca da busca insaciável pelo saber. As pessoas (em especial as crianças), já não são mais as mesmas, elas não possuem tantas questões, por que elas não vivem como viviam antigamente para ter esse desejo desperto dentro delas, elas não estão buscando conhecer novos horizontes por que está acontecendo uma certa delimitação de ambiente. As vezes a culpa é dos pais e da ausência de presença com relação a normas educativas, as vezes, é dos filhos, que não valorizam o mundo da forma como ele é, porém, valorizam uma visão supérflua das coisas.

    Meigo, envolvente e reflexivo. Ainda não escreveram um livro dedicado a um público tão querido por todos, que trouxesse consigo uma energia tão positiva e uma história tão maravilhosa quanto essa.

    DIAGRAMAÇÃO E DETALHES




    SIM, as ilustrações estão impecáveis. O livro foi todo ilustrado por Guto Paixão, amigo do autor, e devo acrescentar, que está incrível cada ilustração do livro dá um sentido novo ao que se está sendo contado. O livro foi impresso em papel couché 80g e possui uma capa com acabamento em brochura. 

    O AUTOR


    L. Rafael Nolli nasceu na cidade de Araxá, MG, no ano de 1980. Formado em Letras e Geografia. Publicou Memórias à Beira de um Estopim (JAR Edições, 2005), Elefante (Coletivo Anfisbena, 2013) e Gertrude Sabe Tudo (Gulliver Editora, 2016). Edita o fanzine The Soronprbfs.

    Website: rafaelnolli.blogspot.com
    E-mail: nolli@boll.com 
    Twitter: @nollirafael 

    Nenhum comentário: