• NOVIDADES

    sexta-feira, fevereiro 17, 2017

    [RESENHA] Ó, o Globo — A história de um biscoito, Ana Beatriz Manier


    Sou um ícone da carioquice, um amigo de infância, dizem até que já sou membro da família. Memória gustativa de 99,9% dos que no Rio de Janeiro vivem, viveram ou viverão. Sou repleto de curiosidades. Estreei por aqui no Aterro do Flamengo, fiz fama em Botafogo. Sou sessentão, mas nem pareço. Sou redondo e farelento, com muito orgulho. Sempre fresquinho, só ando de verde ou vermelho. Tem quem goste de mim bem bronzeado. A maioria me prefere salgado. O mate é meu melhor amigo, somos quase inseparáveis. Adoro praia, estou sempre no Maracanã, não importa qual time esteja em campo. É verdade o que dizem por aí, não circulo por rua pouco movimentada. Embora meus pais tenham raízes espanholas e portuguesas, sem mandioca eu nada seria. Detesto publicidade, “Pra quê?”, pergunto, “Se já sou tão querido!” Metido a iguaria, frequento festas descoladas, mas não perco as infantis, não mesmo. Tenho um parente que vive tentando me imitar, nem ligo. Sou saudável e nutritivo, pode me traçar sem culpa. Uns gostam, outros me adoram. Há até os que me idolatram, é sério (afinal, sou global). Bem, há um ianque que me detesta, lá em Nova York, tá out ele. Minha receita de sucesso? Sou feito com muito amor e carinho.

    Biscoito globo — Um ícone carioca.

    Ó, o Globo
    — Quem nunca ouviu esta frase quando estava no sinaleiro ou nas praias do Rio de Janeiro? Afinal, quem nunca degustou um Globo quando o tempo não permitia almoçar direito ou quando a fome apertava? Pois é. É sobre este salva vidas que iremos falar hoje.

    Ó, o Globo — A história de um biscoito é um livro escrito pela niteroisense Ana Beatriz Manier. O livro procura narrar a história e os passos seguidos pelos criadores do biscoito mais querido do Rio de Janeiro.

    Tudo começou no início do século XX, ainda na Espanha, quando duas famílias de emigrantes vieram para o Brasil, e se estabeleceram em Franca. Depois, o foco se volta para São Paulo, e então para o Rio de Janeiro, quando aos filhos desses emigrante espanhóis junta-se um português.

    A partir de agora, a história do biscoito Globo estava traçada pelo destino e começava a ser escrita pelas mãos de Deus. Juan e Antônia são os pais de Antônio, Francisco, José, Ana, Matilde e Rafael que compõe a família Ponce Morales.

    O desenvolver da história irá narrar os pontos principais que levaram a criação do biscoito. A narrativa irá nos revelar todos os pontos necessários dentro da história da família Ponce e o "nascer" da ideia do biscoito, mudanças, a sociedade com a família Torrão, ideias, projetos, novas mudanças, novos projetos e a idealização.

    O livro é repleto de curiosidades que nos ajudam profundar mais no enredo e compreender alguns aspectos e detalhes presentes na história de uma forma mais resumida e direta. 

    Desde o início, os vendedores ambulantes fazem parte da história do BG.

    O mais incrível em toda a história das famílias é a valorização que deram aos funcionários, vendedores ambulantes, sócios e amigos envolvidos no crescimento do biscoito no cenário carioca. Os vendedores ambulantes sempre estiveram presentes desde a criação do BG (biscoito Globo). E assim como as famílias valorizavam intensamente o trabalho árduo dos vendedores ambulantes, a autora também valorizou. O livro cita quatro vendedores ambulantes em suas páginas, e isso é tão maravilhoso, é como se o seu trabalho fosse finalmente reconhecido.

    A escrita da autora revela uma grande sensibilidade e apego para com o tópico abordado. Nota-se que houve um grande empenho em pesquisas para abordar tópicos tão profundos e relevantes dentro do contexto histórico da família idealizadora do biscoito Globo. Dotada de uma sensibilidade extrema, Ana conseguiu com êxito deixar o texto leve e emocionante, narrando a história de uma família que venceu e passou pelas mais diversas dificuldades até a concretização do sonho de uma vida melhor.

    Tão sensível quanto o sabor do biscoito que se desfaz em uma mordida, tão gostoso de ler quanto sentar-se a beira da praia com um chá mate e um saquinho de biscoitos, tão repleto de surpresas quanto encontrar um vendedor ambulante no sinaleiro na hora em que mais precisamos de uma beliscada, tão sensacional quanto a história da família que lutou para idealizar este sonho.

    Você pode se informar mais sobre o livro lendo outras matérias aqui no blog:


    Diagramação e detalhes

    Capa do livro "ó, o globo - A história de um biscoito"

    Impecável em todos os sentidos possíveis. A diagramação está incrível, já o projeto gráfico, está impecável. A capa do livro foi pensada com cuidado para retratar a embalagem do biscoito globo e foi impressa em acabamento brochura. As folhas que compõe a história foram impressas em papel pólen soft 70g para a história e para a mini galeria de fotos do livro foram usadas o papel couché matte. 

    A AUTORA

    Tradutora e escritora, Ana Beatriz Manier nasceu em Niterói e está radicada em Nova Friburgo há mais de 30 anos. É formada em Administração de Empresas e em Letras, com especialização em língua inglesa, literaturas de língua portuguesa e tradução.

    Nenhum comentário: