• NOVIDADES

    sexta-feira, fevereiro 03, 2017

    Sobre a necessidade de fazer poesia

    Google Images

    Eu sei, é impossível fazer poesia. Poesia é algo que eu sempre acreditei que fossem reflexos da alma para o mundo exterior, é como se fosse o grito de nossas necessidades mais profundas querendo se libertar, e por este motivo, acabam sendo algo espontânea, logo então podemos pensar que, ninguém faz poesia, por que a poesia é algo espontâneo. A relação entre escritor e poema é algo libertador, é como se aquele momento entre eu e meu computador ou caderno fosse o único do mundo, por que eu posso simplesmente botar para fora tudo o que estou sentindo sem me preocupar com o que irão pensar a meu respeito, sem julgo, sem paredes de impedimento. Agora, sou livre.

    Eu acredito cegamente que as pessoas chamadas de poetas, poetisas ou produtores de poesias, são pessoas dotadas de um dom extremo, não são somente pessoas que sabem se expressar através de palavras, é algo que vai além do que as pessoas podem vivenciar. A poesia é a necessidade do autor em questão, expor não somente seus sentimentos, mas deixar transparecer toda sua vida em um papel, em um momento. Houve um momento que inspirou aquela poesia, aquela escrita. A necessidade de "fazer poesia" nasce-se a partir do momento em que percebemos que não conseguiremos guardar para nós aquilo o que está no perturbando, que está nos deixando inquieto, que está nos perturbando, ou até mesmo doendo. A poesia em sua maioria reflete sentimentos profundos de dor ou agonia. Amor, raiva, ódio, saudade, morte, dor, sentimentos. Porém, não são simples sentimentos, é o despertar para realidade a ponto de desabafar em um bloco de notas.

    Escrever é fácil, se expressar é difícil. Nem todo mundo que escreve, se expressa, a maioria, só narra. Narrar nem sempre é vivenciar. Expor aquilo o que se foi ou se é vivenciado, é difícil. Existe uma certa complexabilidade dentro do olhar de quem se atreve a se aventurar em uma poesia, algo além do olhar.

    Nenhum comentário: