• NOVIDADES

    terça-feira, março 14, 2017

    [RESENHA] Travelling to infinity, My Life With Stephen — Jane Hawking

    Capa original do livro Travelling to infinity, my life with Stephen", publicado no Brasil como "A teoria de tudo"

    Travelling To Infinity, My Life With Stephen é o título original do livro biográfico-dramático escrito por Jane Hawking que narra sua vida e casamento com o físico e cosmólogo Stephen Hawking. O livro foi publicado no Brasil com o título "A teoria de tudo" através da Editora Única.

    A versão em inglês possui aspectos peculiares diferenciam — e muito — a obra em português. Jane Hawking possui um aspecto interessante quando narra sua vida com Stephen, dotada de uma singularidade e sensibilidade sem precedentes, Jane nos apresenta sua vida desde o primeiro momento em que avistou Sphen nos campus da universidade.

    Stephen era simplesmente o físico mais inteligente de sua turma, chegando ao doutorado com menos de trinta anos. Tudo começou em uma troca de olhares em meio à uma festa no campus, depois à algumas saídas fora da rotina de ambos, e claro, ao florescer da paixão em ambos. Stephen sentia-se orgulhoso de suas conquistas, inclusive de Jane. Com o tempo o físico acaba recebendo o diagnóstico de que era possuidor da Doença do Neuro Motor, conhecida hoje em dia pela sigla ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica). Desenganado por médicos, Stephen e pedido em casamento por Jane, e se casam pelo "tempo que lhe restava ou pelo infinito". Jane faz lindas declarações com relação a força de vontade de Stephen durante o folhear do livro.

    Em seu livro, Jane diz-nos que a tragédia que acometeu sua relação, não foi a esclerose, e sim, a idade. A idade fez com que tudo se complicasse, afinal, a cada ano que se passasse, as dificuldades enfrentadas por ambos no dia-a-dia pioraria.



    Ao lado de mim estava Stephen, jovem e vibrante apesar do início da deficiência. Sua saúde geral era boa, e sua determinação de aproveitar a vida ao máximo - e ter sucesso na física - ganhava força no dia. Caminhar era difícil, os botões eram um incômodo, as refeições levavam mais tempo e o cérebro tomava conta da caneta e do papel, mas eram problemas mecânicos que a invenção e a perseverança podiam superar. Era impensável que ele pudesse ser um candidato para a triste cerimônia em que assistimos naquele dia. A morte foi a tragédia da velhice, não da juventude . "
    O livro foi escrito muito tempo depois de Jane separar-se de Stephen, porém, sua linguagem revela um sentimento ainda vivo dentro de si e uma paixão amistosa com relação ao bem querer ao ex-parceiro de vida. 

    Enfim, para saber mais detalhes acerca desta obra, acesse os links abaixo:

    Crítica do filme "A teoria de tudo"

    Nenhum comentário: