Ads Top

Como falar sobre literatura

Google Images | Divulgação

Há um tempo atrás eu li uma coluna no estadão acerca do estranhamento corriqueiro das pessoas com relação à assuntos ligados a literatura. De acordo com o texto — que lembro-me muitíssimo bem — as pessoas sentem-se deslocadas ao falar sobre literatura em uma conversa qualquer no circulo de amigos, no dia-a-dia ou durante uma pausa para o café, algumas hesitam e acabam por fim, mudando de assunto. Isso pode estar ligado à diversos fatores, porém, nós nunca pensamos em uma alternativa para introduzir o assunto literatura no dia-a-dia, afinal, chegar em uma pessoa que não sabemos se possui o hábito de ler e questionar sobre um lançamento ou autor "x", de fato, ocorrerá o estranhamento, porém, a forma como iniciamos este diálogo é o que pode mudar o rumo da história. E é sobre isso que iremos falar hoje em dia.

Tudo provem dos livros, e não me venha com seus textões militantes de esquerda, que não irei lê-los, apenas assuma. Novela é um gênero textual, porém, a novela novelística com a qual temos contato hoje em dia na televisão, é escrita antes de ser produzida em áudio e vídeo, ou seja, foi-se necessário a criação e escrita de um livro — roteiro — para produção daquele livro. Não foi tão convencional usar este modelo? Usemos outros então. 

Atualmente o mercado cinematográfico é totalmente constituida de obras que estão voltadas para a literatura, ou seja, a maioria dos lançamentos dos dias de hoje são inspirados no enredo de livros bastante conhecidos, conhecidos o suficiente para inspirar alguém à criar um filme baseado no livro, visto que, o livro possui uma legião de fãs e estes fãs irão assistir aquele filme — mesmo que para criticar ou citar o que tem ou não tem de fato no livro — então, usa-se do marketing durante a produção de um filme. "Novo Livro de J.K Rowling rendeu mais de um milhão de cópias vendidas somente nas primeiras vinte e quatro horas", talvez a J.K não tenha o intuito de produzir um filme baseado no livro anunciado, porém, existem milhões de empresários e empresas que encontram-se a mercê para produzir e faturar milhões de dólares em cima da produção literária da autora. O mesmo podemos dizer do teatro, que cada vez mais, vem crescendo com uma força avassaladora. Roteiros, personagens e histórias baseadas em livros, pessoas que produzem festas e eventos inspirados em personagens literários, mas não incentivam a literatura, o máximo que vemos é "Baseado no romance homônimo de autora chiisss [x]".

E não é intrigante que a maioria das pessoas que possuem o hábito de ver um filme baseado em um livro, somente pelo fato dele ser baseado em um livro, não leu a obra em que foi inspirada para produção da obra cinematográfica? Pode parecer loucura, mas não é. Faça o teste, em uma exibição de um filme inspirado em um livro enrole o suficiente a pessoa falando de detalhes do livro, uma hora ou outra você irá escutar "Ah, verdade, fiquei sabendo que tem um livro mesmo...", ou algo semelhante. FAÇA O TESTE.

Uma forma muito inteligente de você conversar com uma pessoa levando-a à falar sobre literatura, é não falando sobre a literatura de forma direta e formal, ou seja, inicie o assunto falando primeiramente do filme "x" e do que espera dele, depois diga que já leu o livro e pergunta se a pessoa já leu. A partir dai, a conversa pode deslanchar.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.