Ads Top

[ENTREVISTA] Cátia Mourão, autora da trilogia "A sociedade secreta"

Catia Mourão | Facebook | Divulgação

Cátia Mourão (46) é brasileira, carioca e autora da trilogia "A sociedade Secreta", trilogia está que foi publicada através de sua editora "Ler Editorial", ao qual consagrou-a no mercado editorial brasileiro como pioneira em thriller policial e romances.  Cátia também é membro do Núcleo Acadêmico de Letras e Artes de Buenos Aires, e do Núcleo acadêmico de Letras e artes de Lisboa. Em 2015, a autora foi agraciada com a comenda Leonardo Da Vinci e imortalizada na Enciclopedia de Gradi Artisti, publicada simultaneamente no Brasil e na Itália. E hoje, Cátia é editora chefe e proprietária de uma das maiores editoras de livros do mercado editorial brasileiro, e conta para gente como surgiu a ideia de fundar uma editora e claro, sobre sua atividade prolífica para com a escrita. 


1. Olá Catia! É um imenso prazer tê-la em nosso portal. A maioria das pessoas conhece a Ler Editorial, porém, nem todas conhecem a figura responsável pelo sucesso da editora. Apresente-se e fale-nos um pouco sobre sua série "A Sociedade Secreta".

Oi Vitor! Para quem não me conhece, sou a Catia Mourão, autora da saga ‘Mais Além da Escuridão’, da novela romântica ‘Elos do destino’ e da série ‘A Sociedade Secreta’. Além disso, sou editora da Ler Editorial.

Apesar de alguns leitores pensarem que se trata de contos, A Sociedade Secreta é na verdade uma série de novelas eróticas. Cada volume possui vários capítulos, todos destinados a revelar os segredos de um personagem específico da trama. O primeiro livro conta a história da Senhora V, o segundo revela a intimidade do Senhor F. O livro 3, que será lançado em breve na Amazon, é sobre a Senhorita M e o último, e talvez o mais esperado pelas fãs, vai contar tudo sobre o Senhor P. A ideia foi criar um projeto inovador, apresentando ao leitor uma novela dividida em volumes, e juntamente com o lançamento do último ebook na Amazon, será lançado o livro físico que reunirá a trama completa.  



2. Catia, o primeiro livro da série "A Sociedade Secreta" nos mostra um mundo alternativo dentro de um clube onde tudo é possível. A proposta explícita no livro é quase um convite à aventurar-se em suas páginas. A ideia central do primeiro livro é segmentada para os volumes 2, 3 e 4?

A ideia do primeiro livro é justamente transportar o leitor para dentro dessa sociedade, fazendo com que ele se sinta interagindo com os personagens. A proposta de um Clube onde é possível realizar todas as suas fantasias, sem restrições ou preconceitos, é estimulante. Mas não podemos esquecer que toda aventura tem suas consequências, e é exatamente isso que vamos ver nos próximos volumes.

3. O que veio primeiro: Seus livros ou a Ler Editorial? Quando foi que você teve a ideia de abrir uma editora? 

Difícil fazer essa separação. Nem sei dizer quando tudo começou, mas faz muito tempo. Escrevi meu primeiro livro, a dramaturgia ‘Elos do Destino’, em 1997. De lá pra cá, criei muitos textos em espanhol para meu blog ‘La Princesa de la Oscuridad’, antes que desse vida aos personagens Carlie Marie e Donovan Hunter, da série MADE.  A ler Editorial surgiu da necessidade de distribuir MADE para um público mais abrangente. Até então, eu e o Johnatan publicávamos como autores independentes, mas os livros foram fazendo sucesso, ganhando um número grande de fãs, e sentimos a necessidade de expandir a distribuição. Recebemos propostas de várias editoras, mas nenhuma delas se adequava as nossas expectativas, e foi assim que decidi abrir a Ler.

4. A Ler Editorial é sempre destaque no Skoob, principalmente entre os livros mais procurados do dia pelos usuários. Como você se sente quando isso ocorre? 

Nossa! Primeiro, fico muito orgulhosa dos meus autores. Eles são minhas estrelas e costumo brincar que todos os livros são meus, eles só escreveram (risos). Tenho ciúme dos meus autores e dos livros da editora. Também fico muito feliz pelo reconhecimento dos leitores. Procuro oferecer um trabalho de qualidade para meus autores, fazendo sempre o melhor possível por suas obras, e quando os leitores retribuem dessa forma, levando nossos livros para os primeiros lugares, bate uma sensação muito gostosa de dever cumprido.  

5. Como você descreveria sua relação com a literatura? 

A literatura é minha vida. Acho que o dia que eu não puder mais dar vida aos meus personagens ou trabalhar em prol da literatura nacional, nesse dia eu deixarei de existir.

6. Obviamente, você possui muitos fãs e leitores. A questão é: você é mais assediada e reconhecida pelo seu trabalho na edição de livros dentro da editora ou como autora?

Depende um pouco do momento. Quando lanço um novo livro os leitores assediam mais, querem saber sobre algum personagem pelo qual criaram relação de amor ou ódio, ou tentam antecipar o que vai acontecer em seguida, no caso das séries. Enfim, minha caixa de mensagens fica bem cheia rsrs
Mas passada a fase do lançamento, o assédio maior é dos novos autores, em busca de uma oportunidade de mostrar seu trabalho.

7. Antes de prosseguir para a próxima questão, devo dizer que fiquei apaixonado pela capa do segundo livro da sua série, "Senhor F" é alguém que realmente mexe comigo, como leitor. Como nasce cada personagem? Você começa a escrever e eles surgem de forma instantânea ou você planeja tudo com antecedência?

Obrigada! As capas dos volumes em versão ebook foram feitas por mim e confesso que também sou apaixonada por elas.
Geralmente eu escrevo um roteiro antes de começar o livro. Isso me ajuda bastante, principalmente com as séries. Deixo todos os pontos amarrados e só aí começo a trabalhar no primeiro volume. 

8. "Não ser descoberto" é uma das aventuras propostas no enredo da série. Foi por este motivo que optou por usar abreviação nos nomes? "Senhor F" foi uma forma de manter em segredo e em mistério o personagem?

Foi sim. Gosto da ideia de deixar a imaginação do leitor à vontade para idealizar os personagens e no caso de ‘A Sociedade Secreta’, acho que o uso das iniciais ajuda a manter esse mistério e se adequa muito bem a proposta da trama.

9. Escrever temáticas parecidas ou continuações são sempre mais fáceis do que escrever um gênero ao qual não estamos habituados. Pretende escrever algum livro que fuja completamente de sua zona de conforto? Uma biografia, um livro de reportagens ou até mesmo quadrinhos?

De certa forma, já venho saindo da minha zona de conforto há algum tempo. Gosto de me aventurar por novos gêneros. Comecei escrevendo romance, passei para os textos góticos, cheguei a literatura fantástica e agora, uma série erótica. Quem sabe o que mais virá por aí? Tudo é possível.

10. Qual foi o primeiro autor que optou em publicar um livro pela Ler Editorial? Você diria que pelo fato deste ser o primeiro autor, é também seu favorito?

A primeira autora que acreditou no meu trabalho como editora e fechou contrato com a Ler foi a Eva Zooks, que me confiou dois livros: ‘Cicatrizes’ e ‘Caminho das águas’. Hoje eles já ganharam novas edições e temos outros títulos dela na editora, inclusive ‘Adolescer’, que foi o primeiro livro da Ler direcionado ao público infantojuvenil. Claro que a Eva tem um lugar especial no meu coração e na história da editora, mas não gosto de classificar como preferência. Todos os autores da editora são especiais para mim, cada um ao seu estilo. Prefiro pensar que consigo dar a mesma atenção e carinho igual para todos.

11. Atualmente você possui algum projeto em vista? Novos livros, eventos, lançamentos ou planos que estão em fase de concretização?

Como editora, estou me dedicando aos livros que serão lançados na Bienal do Rio. Como autora, estou trabalhando na finalização de ‘A Sociedade Secreta’ e, em paralelo, no meu primeiro romance de época, que é ambientado na Rússia Imperial, no ano de 1824. Espero terminar ele ainda esse ano, quem sabe, lançar para o natal.   

12. Agora um bate-bola rápido:

Infância: doces e travessuras
Livro preferido: são muitos, não saberia citar apenas um
Programa de TV favorito: filmes, filmes, e ás vezes, séries 
Uma pessoa: meu marido
Um passatempo: escrever e ler, ler e escrever, viajar sempre que posso
Um blog: o blog da Ler, no site da Ler
Uma paixão: chocolate e Coca-Cola
Um plano para o futuro: ver a Ler se tornar uma das grandes editoras do Brasil Cátia por Cátia: Mulher menina, extrovertida em sua seriedade, um contraponto, cheia de controvérsias. Empresária e do lar, romântica e objetiva, amante da fé, seja ela em si mesmo ou em um ser supremo. Catia é muitas em uma, como tantas brasileiras por aí.  

Catia, é sempre um prazer imensurável receber autores, editores e pessoas tão incríveis como você em nosso blog. Deixamos aqui aberto o nosso convite para que você retorne brevemente com novidades, e claro, com todos os seus autores. Esperamos todos aqui muito brevemente.

Eu que agradeço a oportunidade de falar um pouco sobre o meu trabalho e sobre a editora.
Obrigada Vitor!

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.