Ads Top

[ENTREVISTA] Cristina Barbosa, autora de "Uma incontrolável atração"

Cris Barbosa | Assessoria | Divulfação

Cris Barbosa, esposa dedicada, escorpiana, 45 anos, cirurgiã dentista há mais de 23. Nascida em Ituverava, interior de São Paulo e, hoje, reside em Ribeirão Preto, no mesmo estado. Escrever é sua maior paixão! Exerce sua profissão em uma clínica odontológica e escreve nas horas vagas, mas pretende muito em breve se dedicar apenas aos livros. “Uma Incontrolável Atração”, é seu primeiro romance publicado em formato digital e que será lançado no formato físico (impresso), em Junho deste ano, pela Editora Pandorga. A autora já está trabalhando em um novo projeto, ainda sem nome definido

1. Quando você percebeu que seu destino era se tornar um escritor?

   Eu sempre tive esse sonho, desde que comecei a ler e apanhei gosto pela a leitura. 
   A minha paixão pelos livros é tão grande, que sempre sonhei escrever a minha própria história.
   Tive que adiar esse sonho por um tempo, devido a faculdade e compromissos profissionais.
   Até que, hoje, com uma carga horária de trabalho menor, pude me dedicar a ele e escrevi meu primeiro romance intitulado "Uma incontrolável atração".

2. De onde vem os personagens? São frutos de muita imaginação ou são baseados em pessoas reais?

   Meus personagens são fruto da minha imaginação mesmo.
   Imagino um história legal e já vou traçando o perfil dos personagens e assim os crio.

3. Quais seus autores favoritos? Estes livros de alguma forma, influenciaram diretamente na sua escrita?

   São muitos, mas principalmente Nicholas Sparks.
   Amo as histórias dele!
   De certa forma seus livros acabam me influenciando, sim.

4. Já aconteceu de você conhecer alguém que leu sua obra, ou que estava lendo?

   Pessoalmente, ainda não. Só as pessoas que eu já conhecia mesmo. Mas virtualmente, muitas. 
   Vários leitores já me chamaram para conversar sobre o meu livro, dizer que gostaram e perguntar sobre o lançamento do físico.

5. Atualmente uma das maiores dificuldades encontradas por autores é publicar o livro no formato físico, até mesmo pelos valores altíssimos cobrados por algumas editoras. Você encontrou alguma outra dificuldade para publicar ou desenvolver sua obra?

   Na verdade, eu não encontrei muita dificuldade nesse quesito.
   Enviei meu original para 5 editoras, 3 delas demonstraram interesse em publicá-lo, apenas 1 respondeu em negativa e da outra até hoje não recebi resposta.
   Dentre as que demonstraram interesse, escolhi aquela que eu achei que mais se adequava ao gênero que escrevo e ao meu publico alvo.
   Os valores são bem altos mesmo, mas acho que se levarmos em consideração a visibilidade que as editoras nos trazem, na minha opinião acaba compensando.

6.  Você costuma recorrer á opiniões de terceiros durante o processo de escrita de um livro? Se sim, por que?

    Sim. Eu recorro a opinião da minha beta e amiga Daniela Ribeiro.
    Faço isso porque ela me ajuda a achar erros que me passam despercebidos, além de me dar sua opinião como leitora.

7.  Quanto tempo demorou até que seu livro estivesse finalmente finalizado?

    Escrevi "Uma incontrolável atração" em aproximadamente 4 meses.
    Aí comecei a publicá-lo no wattpad, enquanto ele era revisado e diagramado para a Amazon. O que deve ter levado mais uns 2 meses.
    já o físico, assinei contrato com a Editora Pandorga em dezembro e ele será lançado em Junho. Ou seja, 6 meses.

8. Pretende escrever outros livros dentro do gênero do primeiro livro?

   Sim. Já estou até escrevendo um novo romance.
   Mas ele ainda não tem um nome definitivo.

9. Qual o pior inimigo de um autor?

   Na minha opinião seria a falta de tempo para escrever e de imaginação para criar.

► Compre "Uma incontrolável atração"
10. O que você faz quando uma ideia maravilhosa surge enquanto você está fora de casa e precisa registra-la?

    Tenho memória fotográfica.
    As vezes guardo na cabeça mesmo até chegar em casa e colocar a ideia no papel ou tela do computador.
    Outra solução que encontrei foi baixar o Onedrive no meu celular também, então, sempre que possível, escrevo nele.

11. Você acha que escrever enquanto se ouve uma trilha sonora de fundo, dá inspiração ou atrapalha?

    Na verdade nunca tentei colocar uma trilha sonora para escrever, mas como gosto de estar sozinha e em silencio enquanto crio, acredito que iria me atrapalhar.

12.  De tudo o que você já escreveu, tem algo em especial que se orgulhe? Algum trecho, personagem ou terra?

     Até o momento tenho apenas um livro escrito e publicado, e estou escrevendo o segundo.
     Mas me orgulho muito de "Uma incontrolável atração", por ser o primeiro e estar me trazendo muitas alegrias e realizações.
     Acho que minha primeira história sempre terá um lugar especial no meu coração.

13. Como foi a recepção do seu público com relação à sua escrita? Você acha que se surgisse a oportunidade de vendê-lo para fora do país, a recepção seria mesma?

    A recepção foi muito boa e confesso que chegou a me surpreender.
    A grande maioria das pessoas que leram minha história gostaram muito.
    Recebi muitos elogios por parte dos leitores.
    Se eu tivesse a oportunidade de vendê-lo fora do país, eu não perderia a chance, e acredito que ele seria bem recebido também.
    Pelo menos eu espero que sim. rsrsrs

14. Como surgiu a ideia do enredo do primeiro livro que você escreveu?

    Eu estava procurando por um tema que tivesse sido pouco abordado até aquele momento.
    Não queria cair na mesmice.
    Então um dia navegando pelo twitter, comecei a prestar atenção no comportamento de certos astros de Hollywood e seus fãs, os contratos midiáticos (os famosos PRs), perseguição de paparazzi, tabloides de fofocas...
    Achei que seria interessante escrever à respeito.
    E como boa brasileira que sou, rsrsrs, trouxe o astro de Hollywood para o Brasil e fiz com que ele se envolvesse com uma bela brasileira, em um lugar paradisíaco (Jericoacoara, no Ceará).
    E tudo isso acabou resultando em uma mistura interessante e os leitores tem gostado bastante.

15. Já teve medo de desenvolver um enredo em cima de alguma temática polemizada? Racismo, homofobia, aborto e etc?

    Sinceramente, ainda não pensei em abordar nenhum tema polêmico em meus livros.
    Mas se algum dia surgir a vontado e a oportunidade, acho que eu não teria medo, não.
    Encararia numa boa!
    Acho interessante enfrentar desafios.

16. O que você diria para as pessoas que estão conhecendo tanto você quanto sua escrita somente agora?

    Que dessem uma oportunidade para a minha história.
    Que a lessem com o mesmo carinho com que ela foi escrita para os leitores.
    A minha narrativa e história são bem interessantes e eu acho que vocês iriam gostar bastante.

17. O que as pessoas devem esperar de sua escrita?

    Uma linguagem simples, direta, acessível e bem humorada.
    Meu livro foi escrito com muita sutileza, na medida certa, sem vulgaridades e com muito romantismo.

18. O que você diria para alguém que está iniciando a escrita do seu primeiro livro?

    Não desista do seu sonho, mesmo que ele demore a se realizar, ele é totalmente possível.
    Eu sou a prova disso ao lançar meu primeiro livro aos 45 anos.
    Acredite no potencial da sua história, pois se nem você acreditar nela será difícil chegar em algum lugar.

19. Onde podemos encontrar seus livros para compra?

    Por enquanto ele está disponível somente em eBook no site da Amazon pelo link www.amazon.com.br/dp/B01MAYG1AO .
    Mas, em junho deste ano (2017), ele será lançado em físico (impresso), pela Editora Pandorga.
    Aí ele poderá ser adquirrido em várias livrarias e sites espalhados pelo Brasil, no site da própria editora e comigo mesma (a autora), através de contato pelas minhas redes sociais. 

20. Qual a sua opinião sobre a literatura nacional nos dias de hoje? Acha que é bem divulgada pelos blogs literários e editoras?

    Acho que se tornou mais fácil publicar livros devido a grande demanda de editoras que estão interessadas em publicar nossa literatura.
    Porém a concorrência aumentou muito e por isso temos que investir muito em divulgação.
    Estou satisfeita com a divulgaçaõ que os Blogs e grupos literários tem feito da minha história.
    Sou muito grata a eles!
    Quanto a divulgação pela editora, só vou poder opinar sobre sua efetividade, quando meu livro físico for lançado.
    Mas com certeza tenho e terei que continuar fazendo a minha parte.

21. Se você pudesse dar um conselho para os seus amigos escritores por meio desta publicação, o que você diria a eles?

    Que não nos olhássemos como concorrentes ou adversários e sim como amigos.
    Que nos uníssemos e ajudássemos um aos outros para o bem e o fortalecimento da literatura nacional.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.