• NOVIDADES

    terça-feira, maio 30, 2017

    [ENTREVISTA] Lucas Moshe, autor de "O céu que nos une"

    Lucas Moshe | Acervo Pessoal | Divulgação

     C. Lucca Silva, mas mais conhecido como Lucca Moshe mesmo . Atualmente vive da ajuda da minha família, pois espero a decisão do exército (alistamento obrigatório) para poder conseguir ser aceito por alguma empresa. E é autor do conto "O céu que nos une" e do conto "o carregador afogado".

    1. Quando você percebeu que seu destino era se tornar um escritor?

    Eu, honestamente, não acredito muito em destino, sabe? Eu acredito que a natureza conduz cada humano a se estabelecer em seus objetivos de vida. No meu caso, a natureza me mostrou essa habilidade com as palavras como uma forma de eu ajudar as pessoas, ou, como gosto de dizer, numa forma de expor ao mundo todas as emoções que vivem em mim e deixá-las abraçarem os demais habitantes deste planeta que queiram este abraço. Então, foi neste momento que eu percebi.

    2. De onde vem os personagens? São frutos de muita imaginação ou são baseados em pessoas reais?

    Meus personagens vêm muito de pessoas que vejo na rua. Cada dia mais me torno um observador da sociedade, então tento agruár estes defeitos e qualidades que encontro no meu cotidiano para criar personagens verossímeis, com muitos problemas, por sinal.

    3. Quais seus autores favoritos? Estes livros de alguma forma, influenciaram diretamente na sua escrita?

    Sem dúvida eu venero a J.K. Rowling, até mesmo digo que sou Rowlingiano rs'. Porém também admiro o trabalho de outros autores, com citações especiais ao Nicholas Sparks, pois a escrita romântica dele me encanta, e ao Stephen King, por ser o escritor mais louco que já tive o prazer de ler. E, quanto a influência, sim, a Rowling me influencia diretamente, pois os personagens que ela cria são complexos, nem personagem secundário é pouco trabalhado nos livros dela. Então, eu tento absorver esta questão de todo personagem ter uma história que influencia em seus atos no presente, assim como influencia nas decisões que ele tomará futuramente.

    4. Já aconteceu de você conhecer alguém que leu seu conto, ou que estava lendo?

    Ah, família conta?

    Sim, meus professores da época do colégio leem meus contos e sempre me dão um respaldo de incentivo a seguir neste caminho, o que é muito bom. Porém, fãs, ainda não tenho, infelizmente.

    5. Você encontrou alguma dificuldader em escrever seu livro no wattpad? Muitas pessoas escrevem receosas de serem rejeitadas por alguma editora futuramente. Você já passou por isso?

    Não. Na verdade, uma vez comecei a publicar um livro meu no Wattpad, porém por não achar que eu estava explorando bem tudo o que ele poderia me proporcionar, por decisão própria, eu resolvi tirá-lo. Então agora só possuo um Guia e dois Contos no meu perfil, os quais divulgam um pouco do meu jeito de contar o mundo.

    6.  Você costuma recorrer á opiniões de terceiros durante o processo de escrita? Se sim, por que?

    Eu costumo fazer muitas pesquisas em sites ou blogs de outros autores. É incrível a variedade de conteúdo que você pode encontrar com alguns clicks. Então, devido a isso, acabo não me prendendo muito às opiniões de pessoas que interagem comigo enquanto estou escrevendo. Porém, antes de começar a escrever (enquanto estou na produção) gosto de fazer consultas para ver se está atraente e amo receber críticas no final, pois são pontos de vista diferentes que podem te mostrar algo que deixou passar despercebido e que pode ser muito importante.

    7.Você já possui algum conto finalizado? Quanto tempo demorou-o para finaliza-lo?

    Sim, possuo dois publicados, porém tenho dois guardados para publicar futuramente, além de uma Página no Facebook onde publico meus microcontos (uma vertente muito interessante de se trabalhar, fica a dica). E, quando os escrevi, eu estava numa fase em que eu precisava transbordar em letras o que eu sentia tão forte dentro de mim, então não passavam de dois dias de escrita num mesmo conto. 

    8. Considerando o primeiro conto/história que você escreveu: Você tem planos de escrever outro na mesma linha de raciocínio (mesmo gênero)?

    Eu escrevi quatro contos que citam a questão amorosa de pontos de vista totalmente diferentes e gosto disso, pois o amor é um sentimento e tem uma variedade muito grande de perspectivas. Então sim, pretendo manter esta linha de raciocínio, porém em gêneros diferentes, os quais mostrarão de formas diferentes o mesmo assunto.

    9. Qual o pior inimigo de um autor no Wattpad nos dias atuais?

    Acredito que assim como em mim, a ansiedade dá uns tapas em outros autores também rs'. Então, acho que a divulgação do livro tem que ser muito ampla e aprovada, o que nem sempre é possível, atingir muitos seres humanos de uma só vez é complicado. Então, essa dificuldade em divulgar gera uma baixa visualização, o que pode ser um desestímulo para alguns autores.

    10. O que você faz quando uma ideia maravilhosa surge enquanto você está fora de casa e precisa registrar aquela ideia?

    Falando sério, eu tenho uma boa memória, principalmente para coisas importantes como ideias boas. Então, eu até uso isso como uma técnica para filtrar o que será perfeito, do que taçvez não seja tão bom quanto eu imaginei na hora. Posso até citar o exemplo de uma saga fantástica que eu pretendo escrever futuramente. A ideia que gerou toda a história me veio num sonho que eu lembro detalhadamente até hoje e eu tive este há mais de um ano. E, a partir daí, todas as ideias boas que eu tenho para essa saga eu deixo um dia na cabeça, se ela permanecer, eu a escrevo num dos três cadernos que reservei para esta história.

    11. Você acha que escrever enquanto se ouve uma trilha sonora de fundo, dá inspiração ou atrapalha?

    Como eu escuto música para viver, eu simplesmente acho que sem trilha sonora é impossível escrever (no meu caso). Amo colocar uma Playlist instrumental referente ao contexto em que estou produzindo o conto ou a cena. E graças à natureza que o Youtube existe e disponibiliza playlist perfeitas para cada momento.

    12.  De tudo o que você já escreveu, tem algo em especial que se orgulhe? Algum trecho, personagem ou terra?

    Eu me orgulho muito da saga, mesmo que eu ainda não comecei a escrevê-la. Ela conta muito sobre tudo e isso me enche de orgulho, o que aumenta a cada ideia que fecha um nó solto.
    Mas, em caso de algo já escrito, orgulho-me bastante de ter escrito O Carregador Afogado, trata-se de um conto que faz uma critica intensa e, por ter como inspiração um poema de Manoel Bandeira, fico ainda mais orgulhoso pela interpretação que realizei.

    13. Como foi a recepção do seu público com relação à sua escrita? 

    Muitas pessoas dizem se encantar com o meu jeito de contar as histórias e, principalmente, com meu gosto por fins surpreendentes. Gosto desse ponto de vista, porém gostaria de ter mais pessoas que visualizassem para poder ter aguns pontos de vista que me fizessem ver um outro lado da minha escrita. Sempre em busca de aprendizado para evoluir, acho que esse é o segredo.

    14. Você acompanha contos e histórias escritos por outros usuários da plataforma? Se sim, quais você indicaria para que nossos leitores viessem a conhecer?

    Com pouca frequência, pois tenho um grupo no Facebook que exige bastante do meu tempo de uso virtual rs'. Porém, estou com duas leituras atualmente. Os Últimos Dias (Infelizmente não conheço a escritora) e Hydra Malfoy (esse que é de uma amiga minha, moderadora do meu grupo, e que arrasa na Fanfic Potterhead da irmã "invisível" do Draco. Sim, chamou a sua atenção né!? A minha também e valeu a pena pegar para ler).

    15. Se você pudesse deixar uma mensagem motivacional para nossos leitores e para todos aqueles que estão conhecendo sua escrita agora. O que você diria?

    É complicado fazer uma mensagem que atinja todo mundo. É essa a minha mensagem. Gosto de dizer que eu transbordo sentimentos, mas não vendo barcos. Então se você quiser embarcar no meu mar sentimental, pegue seu barquinho e vá, por conta e risco. É simplesmente um ponto de vista que venho adquirindo com o tempo, que todo mundo tem problemas e soluções dentro de si, os quais se transformam em inúmeras coisas. Eu não posso querer resolver um problema de outra pessoa. Posso ajudá-la a resolver, e é isso que faço com minhas histórias, mas, se ela não melhorar, será triste, mas eu fiz a minha parte. Então faça a sua mensagem valer a pena para uma pessoa, Você. As demais pessoas que sentirem o mesmo, será enriquecedor, mas, se ninguém sentir, a pessoa mais importante sentiu.

    16. Obrigado imensamente por me permitir conhecer um pouco mais do seu trabalho. Espero realmente que você consiga realizar todas as suas metas com a escrita e que consiga fluir bem no mercado editorial brasileiro. Sucessos!

    Muito obrigado meu caro. Parabéns pela iniciativa, você não imagina o prazer que tive em responder cada uma dessas perguntas, pois sei que serão traduzidas em mensagens especiais para algumas pessoas que não poderiam saber mais sobre mim sem esta sua inicativa. Então, meus parabéns e que seu sucesso seja ainda maior que o meu, os autores merecem.