Ads Top

Lançamentos de Maio — Editora Paulinas



Bichinho de estimação (Edméa Campbells)
Dona Vaca encontrou o Potrinho andando muito triste pelo pasto. Ele havia perdido seu bichinho de estimação. A Vaca resolveu ajudar o amigo a procurar pelo seu bichinho. No meio do caminho encontraram outros animais que também quiseram ajudar. O Macaco, o Pato, o Porco, a Formiga, o Galo, o Gato, todos queriam ajudar o Potrinho a solucionar o mistério. Será que eles conseguiram?

Esta obra recolhe as homilias do Papa Francisco, na Casa Santa Marta, no período de Março 2014 a Junho 2015. Elas aprofundam um tema muito querido ao Papa Francisco: a misericórdia, para a qual o pontífice dedicou um jubileu extraordinário.

Com palavras da vida cotidiana, o Papa Francisco nos conta que a misericórdia é um ponto qualificante do seu pontificado. Nas expressões coloquiais, nas metáforas coloridas e nos neologismos que tanto o fazem amar - e criticar - em todo o mundo se exprime o empenho pastoral do pontífice, que nunca é teologicamente abstrato, distante, mas no mesmo plano dos que o escutam.
O que é a misericórdia? A misericórdia não é uma coisa, não é um objeto. Não é um ato legal, humanístico ou um juízo sobre comportamento seguido do perdão dos pecados. A misericórdia é uma relação, um envolvimento. Ao exercitá-la, é necessário compreender o outro e interceder a seu favor. A misericórdia, portanto, tem uma lógica esmagadora que se torna clara somente se se compreende a miséria humana sem desprezá-la.
Na misericórdia, a pessoa humana pode aproximar-se dos seus limites e refundar as relações sociais, combater o mal e perseguir o bem, enquanto a Igreja pode assumir plenamente a sua tarefa pastoral segundo a visão do Papa Francisco: acolher com os braços abertos quem se volta para ela, sem julgar e sem refutar ninguém.
Esta obra une simplicidade e profundidade, características que fazem bela uma obra de fácil leitura e acessível ao grande público. 


O renomado teólogo Leonardo Boff brinda o leitor de Paulinas com sua primeira obra na Editora. A profundidade e a leveza conjugadas nestes textos ensinam, encantam e conclamam a posturas éticas que ajudem a preservar a vida do planeta e a tecer novos modos de vida na sociedade atual.

Os pequenos tópicos deste livro procuram responder a questões que sempre estão na agenda do ser humano. Quem não se pergunta: de onde vem o universo? Como surgiu a Terra? Que é, finalmente, o ser humano? Como salvar a vida e a própria Mãe Terra, hoje ameaçadaa? A espiritualidade possui um lugar em sua vida? Colocamos coração em tudo o que fazemos?
O autor procura responder a estas questões, aproveitando-se dos dados mais seguros da moderna cosmologia e das ciências da vida e da Terra. Seguramente nisso reside sua originalidade.
Não se encontrarão aqui respostas convencionais, mas singulares, que vêm ao encontro das exigências de nosso tempo e das questões que sempre nos ocupam a mente e o coração.
O autor está confiante de que estas reflexões, embora curtas, ajudem os leitores e as leitoras a aprofundarem o sentido de suas vidas e a se sentirem mais próximos da Fonte Originária de tudo, que é Deus.


Ousando a missão (Enrico Masseroni)
Este livro biográfico traz a vida do Bem-aventurado Francisco Pianzola. Como diz o prefácio: "Neste livro, o autor narra e interpreta a experiência espiritual de Padre Pianzola, deixando falar os fatos e trazendo muitos testemunhos; sobretudo, dá a palavra ao próprio Pianzola com amplos trechos de seus escritos. O resultado é um retrato vivo , envolvente e contagiante, que favorece o encontro entre o leitor e Padre Pianzola: um encontro que poderia até mudar a sua vida ou, pelo menos, orientá-la na direção certa. A nossa família religiosa, principalmente após a beatificação de Padre Pianzola, no dia 4 de outubro de 2008, sentiu, por um lado, o desejo de reforçar a própria formação sobre a espiritualidade carismática e, por outro, a urgência de compartilhar o carisma, como insistiam os leigos recentemente associados ao Instituto, os Amigos do Bem-aventurado Pianzola : o livro nasce dessa necessidade de estudo e aprofundamento, valendo-se de contribuições competentes, não pertencentes ao Instituto, conscientes de que o olhar estrangeiro sempre ajuda a enxergar aspectos desconhecidos ou distantes da realidade".

Sabedoria e bondade – Dom Vicente Zico (Vinícius Augusto Ribeiro Teixeira, C.M)
Algumas pessoas atingem níveis muito profundos de humanidade. São pessoas que só fazem o bem, irradiando sabedoria e bondade por onde passam, que conseguem conservar a serenidade e a leveza em meio às agitações e sobressaltos da vida. Assim era Dom Vicente Joaquim Zico, querido arcebispo emérito de Belém, falecido em maio de 2015.

Este livro, nascido da gratidão e da saudade, propõe-se a apresentar o perfil de Dom Vicente a partir de três enfoques intercomplementares: seus principais traços biográficos, uma breve seleção de seus escritos espirituais e pastorais e uma coletânea de imagens. 
O objetivo de livro é cativar o leitor, tanto quanto aqueles que com Dom Vicente conviveram, de modo que sinta despertar o desejo de ser bom, a chama do amor, a saudade do infinito.


1 Tessalonicenses (Luis Alezandre Solano Rossi)
1 Tessalonicenses: fé, esperança, amor e resistência leva-nos para aproximadamente meados do primeiro século, período no qual o apóstolo Paulo escreveu a uma comunidade numericamente pequena e, ao mesmo tempo, muito jovem e com vontade de crescer. Uma comunidade que ensaiava dar os primeiros passos e já percebia os grandes desafios de viver, sobreviver e perseverar diante de uma fora imperial que se agigantava cada vez mais.

A comunidade não era composta de conquistadores, mas, sim, de vítimas do Império. Na verdade, os que lá se encontravam procuravam demonstrar o triunfo do amor de Deus sobre os poderes do Império Romano. Não se viam como conquistadores; a mística que nutriam em comunidade indicava um novo e contracultural caminho: "...somos mais do que conquistadores por meio daquele que nos amou"


Paulo e a Igreja de Tessalônica (Leonardo Agostini Fernandes)
Esta obra, Primeira Carta aos Tessalonicenses, aborda o tema do Mês da Bíblia de 2017. Salienta a importância deste primeiro escrito no contexto do Novo Testamento. Paulo, ao escrever a Primeira Carta aos Tessalonicenses, inaugurou na e para a Igreja o processo de formação do Novo Testamento. Ao fazer uso da escrita para se comunicar com os fiéis de Tessalônica, não apenas revelou a grandeza do seu zelo e ardor missionário, mas inovou e iniciou um modo de se fazer presente, de interagir e de acompanhar a vida dos fiéis e das comunidades cristãs que se multiplicavam principalmente fora da Palestina.

Segundo Paulo, o ministério dedicado ao Evangelho acontece em meio a diversas provações e dificuldades. Estar do lado de Deus e fazer a sua vontade, como discípulo de Jesus Cristo, é uma opção pelo bem, pela justiça e pela verdade que liberta na caridade. O Evangelho anunciado por Paulo e seus companheiros entre os tessalonicenses não era a proclamação de mais uma religião, mas a força de um evento salvífico e pleno de amor: o Mistério Pascal de Jesus Cristo. Não um amor feito de palavras, mas concretizado na total doação na cruz: "Ninguém tem maior amor do que aquele que dá sua vida em favor dos amigos" (Jo 15,13). Paulo assimilou e fez do seu amor a Jesus Cristo a razão do seu ser e do seu ministério apostólico e eclesial. Esse amor se fez carta e foi enviada aos fiéis de Tessalônica: Paulo, Silvano e Timóteo à igreja dos tessalonicenses em Deus Pai e no Senhor Jesus Cristo. Graça e paz a vós (1Ts 1,1).


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.