Ads Top

[RESENHA #123] Sósia — Renan Cardozo

Título: Sósia
Autor: Renan Cardozo
Ano: 2017 / Páginas: 140
Sósia é um suspense psicológico, inspirado pelos clássicos lovecraftianos, como O Caso de Charles Dexter Ward, que pretende questionar os laços com nossa própria identidade. A história começa com um conjunto de relatos, do médico Johnas Spirandelle, enquanto ele e seu amigo, o oficial Ten.Carvalho, tentam descobrir que bizarra relação ocorre entre, uma série de assassinatos e a histeria religiosa causada por uma misteriosa ressurreição. O romance discute o tema da "Sombra", desenvolvido pelo psicólogo Carl Jung, sobre a natureza selvagem do ser humano. A arte da capa, criada pelo artista Walter Pax (autor das ilustrações da edição brasileira de O Chamado de Cthulhu) descrevem esse conflito.

Prévia de como deverá ficar a obra após publicada | Sósia | Renan Cardozo | Divulgação


Esta resenha é betha, o que significa que esta obra ainda não foi publicada, porém, você pode ajudar-nos apoiando-nos no catarse. Ajude a literatura brasileira e torne este sonho realidade!

"Pessoas vão fazer qualquer coisas, não importa o quão absurdo, para evitar encarar suas próprias sombras" - Carl Jung 


Toda a  desgraça-se baseou-se na desgraça. Nova Veneza é uma cidade pequena, de poucos habitantes e bastante pacata, pacata até demais. Tudo começou quando a família souza começou a ter problemas com seu filho de três anos (Luís), o garoto que adoecera foi diagnosticado com uma forte deficiência imunológica, o que deixou o garoto suscetível à adoecer por qualquer motivo, qualquer motivo mesmo.

Virou notícia de folhetim e todos comentavam sobre o caso do menino Luís. O rapaz sofria de uma terrível deficiência imunológica, que lhe tornava suscetível a qualquer moléstia aérea ou infecção e nem os cuidados hospitalares, nem a encomenda de medicamentos dos mais custosos pareciam surgir efeito quase nenhum sobre sua condição — Página 4

Os país de Luís, Laura e Frederico não sabiam mais o que fazer para que o estado do filho melhorasse, nenhum tipo de reza, súplica, oração, médico ou tratamento resolvia, seu caso parecia sem jeito, aliás, a mãe já havia sido desenganada pelo médico local — o qual narra toda a história em primeira pessoa —, o garoto começou a receber donativos de todas as partes e clamores e reuniões e orações pela sua cura, porém, foi em vão, Luís acabou falecendo e a desgraça caiu sobre a família Souza, quando encontraram-se desgostosos com o ocorrido. Luís havia sido encontrado pelo sargento Carvalho desnudo em um local distante da cidade, completamente duro, gelado e sem pulso. O enterro do garoto aconteceu pouco tempo depois, seu corpo foi cremado por opção da família. Não demorou muito para que a tragédia fosse esquecida na cidade e fosse tomada por outros acontecimentos corriqueiros.

A família aparentemente recebeu uma terceira chance divina. Durante uma noite qualquer, nosso querido médico é acordado às pressas pelo toque do telefone de sua casa, aparentemente sua presença estava sendo solicitada na casa dos Souza para conversar pessoalmente e diretamente com sargento Carvalho. 

Carvalho começou a detalhar fatos do que estava acontecendo e o motivo pelo qual à ajuda do médico era necessária, porém, apresentava-se cético em meio aos fatos apresentados. Após o semblante de dúvida, Carvalho pegou-lhe pelo braço e o levou até um quarto coberto pela penumbra, completamente empoeirado.

Quando considerei que poderia me agredir, ele surpreendeu, agarrando-me firme, pelo braço, e subindo comigo atado, toda a escadaria, até o quarto de cima. Lá estava, para minha total estupefaça descrença, a prova concreta, o menino Luís, dormindo tranquilamente, em seu berço empoeirado. — página 10

Luís — O garoto desenganado pelos médicos e que fora encontrado pálido, gelado e morto à pouco tempo pelo sargento, estava vivo, e isso, ninguém conseguia entender. Não demorou muito para que a noticia se espalhasse, porém, o caso começou a ficar mais sério ainda do que se esperava, afinal, existiam perguntas à ser esclarecidas na medicina, nas buscas policiais e nos relatos de amigos e parentes que viram o garoto gelado no chão. Muitos acreditavam que o garoto havia sido sequestrado e "retornado" para casa, outros acreditavam que ele fosse um sósia de Luís, outros que fosse um irmão gêmeo perdido do garoto, e claro, alguns acreditavam na milagrosa ressurreição do garoto que curou todos os males da família — Aliás, quase todos. Laura encontrava-se cada vez mais desgostosa com relação ao filho, ela tinha absoluta e plena certeza de que aquela criança não era o seu filho.

Neste emaranhado de acontecimentos iremos nos aprofundar cada vez mais em uma história onde nosso intelecto não nos serve de nada. Um enredo rico em detalhes onde o assombro, o medo e as incertezas dão espaço para duvidas. Duvidas essas que quando sanadas nos colocam a mercê do inimaginável, irreconhecível, e do desconhecido.


Ninguém conhece a si mesmo cem por cento, sempre haverá uma pitada de dúvida. Sósia é a personificação das boas e velhas histórias que se fazem cada vez menos presente nas estantes de leitores vorazes. Uma leitura que lembra-nos bastante toda inteligência e perspicácia de Allan Poe e toda criatividade e assombro de Stephen King, simplesmente genial.


O final criado alternativamente para esta incrível história é fantástico. Renan Cardozo possuí uma habilidade mais que prolífica com relação à escrita, e isso intensifica-se em sua primeira obra literário, que convenhamos... Está fantástica!



"Meus olhos lentamente se adaptava a luz, enquanto descia as escadas para o encontro com nosso cozinheiro. O homem, que descascava laranjas, com certa dificuldade, no balcão. É obvio que nós já sabemos quem é. Porém mais esperado que ele fosse, ainda assim, ver minha própria...." 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.