Ads Top

[ENTREVISTA] Carlos Augusto, autor de "Crônicas de um idiota"

Carlos Augusto | Acervo Pessoal | Divulgação

Carlos Augusto, 31 anos. Mora em Rio Acima, MG. Geólogo, atuante na área, mas tem como hobby a escrita. Publicou na plataforma Kindle em 2016 seu primeiro romance (Devaneio), uma história de ficção, repleta de ação, com um pano de fundo filosófico, para dar peso ao universo criado. Também escreve crônicas e contos, publicadas na plataforma wattpad. Geralmente abordando as ironias que nos afligem nessa saga que é viver em um mundo onde não existe botão de loadgame ou ctrl-z para a vida real. Teve um conto selecionado para a antologia de contos sobre Vampiros, da editora Empíreo, que deve ser lançado em meados de agosto/setembro.

1. Quando você percebeu que seu destino era se tornar um escritor?

Na verdade não sei. Mas sempre tive muitas ideias, e na época da escola eu escrevia uma HQ com um amigo (ele era o desenhista). Mas comecei levar a sério em 2011, quando escrevi minha primeira crônica.

Leia "Crônicas de um idiota
2. De onde vem os personagens? São frutos de muita imaginação ou são baseados em pessoas reais?

Alguns vem da imaginação, outros são inspirados em uma ou mais pessoas, ou sofrem influências de outros personagens que já existem. Não tem um padrão definido.

3. Quais seus autores favoritos? Estes livros de alguma forma, influenciaram diretamente na sua escrita?

Puts, são tantos, que vou deixar apenas cinco aqui: Luis Fernando Veríssimo, Guimarães Rosa, Gabriel García Márquez, George Orwell, Aldous Huxley, e a lista segue ad infinitum. Sobre a influência, creio que todos sofremos influência de todo o tipo de informação que recebemos, seja visual, sonora, vivida, etc. Sobretudo os escritores.

4. Já aconteceu de você conhecer alguém que leu seu conto, ou que estava lendo?

Acho que a Manu Saraiva, que escreve no Wattpad, mas nos conhecemos apenas por internet.

5. Você encontrou alguma dificuldader em escrever seu livro no wattpad? Muitas pessoas escrevem receosas de serem rejeitadas por alguma editora futuramente. Você já passou por isso?

Nenhuma, a plataforma é bem simples de usar. Creio que o wattpad é uma forma excelente de ir angariando público (apesar de ter a impressão que 90% de quem está lá está buscando apenas um ou dois gêneros). E uma vez que você tem público, fica mais fácil negociar algo com alguma editora.

6.  Você costuma recorrer á opiniões de terceiros durante o processo de escrita? Se sim, por que?

Dependendo do que estou escrevendo sim. Acho que serve de calibrador pro texto, é uma forma de adiantar o processo de revisão argumentativa.

7.Você já possui algum conto finalizado? Quanto tempo demorou-o para finaliza-lo?

Vários, no geral, finalizo no mesmo dia que começo a escrever. Depois as vezes volto pra dar uma lapidada.

8. Considerando o primeiro conto/história que você escreveu: Você tem planos de escrever outro na mesma linha de raciocínio (mesmo gênero)?

O primeiro que escrevi foi uma crônica, em 2011, e desde então venho escrevendo várias na mesma vertente, acho que vou me manter nisso por muito tempo ainda.

9. Qual o pior inimigo de um autor no Wattpad nos dias atuais?

Bom, posso falar apenas para o meu caso em particular, que é escrever fora do gênero mais procurado pela plataforma, isso reduz em muito meus possíveis leitores, e também reduz em muito o material disponível de outros autores para que eu possa ler.

10. O que você faz quando uma ideia maravilhosa surge enquanto você está fora de casa e precisa registrar aquela ideia?

Anoto no celular geralmente, que já sincroniza com o computador, depois eu só tenho o trabalho de guardar ela na pasta certa. Se estou dirigindo, gravo um áudio, se não posso registrar por algum motivo, pesso que alguém me mande ela via whatsapp. De algum jeito tenho que anotar, já perdi boas ideias e nunca mais lembrei delas, só me lembrava que eram boas, e ficava puto por isso.

11. Você acha que escrever enquanto se ouve uma trilha sonora de fundo, dá inspiração ou atrapalha?

Pra mim ajuda, geralmente coloco alguma que tenha alguma relação com o tema, e me ela transporta pro clima da cena (se estiver escrevendo conto ou romance), mas se for crônica, aí escuto qualquer coisa.

12.  De tudo o que você já escreveu, tem algo em especial que se orgulhe? Algum trecho, personagem ou terra?

Me orgulho muito da minha primeira crônica (Sempre tem um babaca), do meu segundo conto (Ben-Hur), e do meu primeiro (e único) romance (Devaneio). Entre as categorias que já abordei, especificamente são os que mais gosto de cada uma.

13. Como foi a recepção do seu público com relação à sua escrita? 

Até então tem sido ótima, sobretudo com o romance (Devaneio), que é o meu trabalho mais popular.

14. Você acompanha contos e histórias escritos por outros usuários da plataforma? Se sim, quais você indicaria para que nossos leitores viessem a conhecer?

Acompanho muito a Manu Saraiva, inclusive já li ela no wattpad e tenho um livro dela no Kindle (A maldição de Bastet).

15. Se você pudesse deixar uma mensagem motivacional para nossos leitores e para todos aqueles que estão conhecendo sua escrita agora. O que você diria?

Que leiam os autores nacionais novatos, e se gostarem, compartilhem o trabalho deles. Difundir boca a boca surte um efeito inimaginável na propagação do conhecimento. E se você tem ideias, execute-as, porque ideias na cabeça apenas valem pouco, ou quase nada.

16. Obrigado imensamente por me permitir conhecer um pouco mais do seu trabalho. Espero realmente que você consiga realizar todas as suas metas com a escrita e que consiga fluir bem no mercado editorial brasileiro. Sucessos! 
Tecnologia do Blogger.