Ads Top

[ENTREVISTA] Michelle Paranhos, autora de "Tsara"

Michelle Paranhos | Acervo Pessoal | Divulgação

Michelle Louise Paranhos Autora do Romance dramático "Ponto de Ressonância", Romance histórico/aventura juvenil "Mulato velho" e Romance biográfico "Coisas de Lorena" e Co-autora do conto juvenil "Menina Tempestade"-disponível no wattpad. Autora do Conto" Rose"-4° lugar no Concurso de textos anônimos do Festival de Literatura e artes Literárias-3°Edição(online organizadora do Evento online Em Pauta: Café Literatura. Troféu Cecilia Meirelles 2015. Título Cidadão Seropedicense-RJ. Acadêmica da Academia Luminescência Brasileira de Araraquara-SP Blogueira,autora,escritora e resenhista crítica.

1. Como nasceu o seu relacionamento com a escrita?

R:Então, Vítor e leitores, obrigada por este espaço. Respondendo sua pergunta, na infância eu era excessivamente tímida e encontrei na leitura um mundo mágico. Aos poucos comecei a escrever em diários ,aos dez anos, mas fazia verdadeiros relatos sobre o mundo e o país, recortava notícias de jornais, e escrevia para um amigo fictício -como a personagem do livro "A bolsa Amarela" de Lygia Bojunga, tãp tímida quanto eu.Foi um caso de identificação mesmo rs

2. Qual foi o primeiro livro que você escreveu? E como surgiu a ideia de escrever um livro?

R: O primeiro livro que escrevi foi Ponto de Ressonância e a ideia surgiu mais por insistência de meu marido mesmo, que achava que eu poderia por essa história no papel,para um público maior...e eu aceitei o desafio.

3. Quais suas principais inspirações literárias?

R: Gosto muito de autores que hoje são considerados clássicos da nossa literatura, Como Luís fernando Veríssimo, Érico veríssimo, Hermamm Hesse, Milan Kundera dentre outros.

4. O que você considera mais difícil durante a escrita de uma história?

R: A fase mais difícil para mim é o meio. Sempre sei como começo e geralmente sei onde quero chegar; Ligar esses dois pontos que é desafiante,especialmente porque gosto de temas que exigem muita pesquisa.Veja, é desafiante,não difícil propriamente: amo a fase de pesquisa,mas é muitas vezes difícil selecionar fontes,ainda mais quando o conhecimento atual está fragmentado em blogs e sites nem sempre confiáveis, e não raro você se depara com opiniões e achismos onde deveria ser notícias embasadas...A falta de credibilidade na internet, às vezes complica muito esse processo.

5. Quando decidiu se tornar escritor?

R: Como disse,não decidi ,decidiram por mim. Eu tinha muito medo de me expor ( e confesso que ainda tenho um pouco, resquícios da timidez...) mas fui ouvindo professores ainda no ensino médio (especialmente de literatura), o bibliotecário da escola onde eu estudava e com quem eu tinha altos papos literários,eu tinha apenas 14 anos na época e por fim comecei uma página na internet com crônicas do cotidiano, fui amadurecendo a escrita e em 2015 publiquei meu primeiro livro. Estou indo agora em 2017 para o quarto livro. 

6. Qual de seus personagens você mais gosta?

R: Isso é um tanto difícil de responder. De cada livro eu tenho um personagem .Do meu livro atual, Tsara : "Ir até o fim do mundo e depois voltar". Gosto muito de Mariana ,a protagonista, que tem coragem para se reinventar. Mariana não é uma mocinha convencional, e seu mundo comum no início do livro tem situações bem conflitantes.O lema dela é " fiz o que foi preciso" e esse lema de vida traz muitas implicações,positivas e negativas para ela...Mariana,na verdade é minha anti-heroína.

7. Como você sente quando recebe um comentário positivo acerca de sua obra?

R: Bastante feliz, mas ouço tanto a critica positiva quanto negativa com ponderação.A critica positiva pode nos acomodar e eu me questiono sempre no que posso melhorar...Porque ainda estou aprendendo a cada dia;não me considero uma autora pronta-e espero nunca estar.Quero ser mais e melhor,sempre.

8. Pretende escrever novos livros? Tem algum projeto em mente chegando?

R: Tem projeto novo chegando em pouco tempo! “Tsara: ir até o fim do mundo e depois voltar” levou um ano e três meses para receber o ponto final. Foi uma extensa fase de pesquisa para falar de um universo místico real, o mundo dos ciganos no Brasil. Agora estou na fase de revisões e processo final de editoração... Ainda terá alguns meses pela frente até ser publicado.

Capa oficial do livro "Tsara"
9. Qual gênero literário você mais se identifica?

R Romance é o meu gênero, mas quanto a subgênero, escrevo especialmente drama, filosofia/psicologia,história.

10. O que você diria para as pessoas que estão conhecendo tanto você, quanto a sua escrita agora?

R:Bom, Meu nome é Michelle Louise Paranhos, tenho 44 anos ,sou casada,mãe de 3 filhos- já adolescentes-sendo que a caçula me inspirou a escrever Coisas de Lorena. O livro é baseado nela,que é uma criança muito especial com uma forma muito peculiar de enxergar o mundo ( publicado em 2016).Gosto de abordar diferentes temas,mas sempre combatendo o preconceito de alguma forma.Essa função social da escrita é importante para mim.  

11. O que as pessoas devem esperar da sua escrita?

As pessoas encontrarão uma literatura enriquecedora por ser resultado de muita pesquisa . Meu objetivo principal é usar a literatura como ferramenta para debater alguns temas importantes mas lógico que isso eu faço utilizando linguagem agradável e fluída . A literatura é uma das facetas da arte que pode e deve ter essa função de difusão cultural. Portanto, minha meta é nunca perder essa chance !

12. Qual passagem do seu livro te marcou mais? Existe um trecho que você goste mais que os outros?

R:Vou colocar um pequeno trecho que deixei disponível na fanpage do Livro:
" ...A noiva -do- fim -da -noite apareceu então para ela em sonho, logo após meu casamento e Soraya aceitou a troca: a vida dela pela vida de sua primeira filha. Achei que tudo estava resolvido quando a curandeira revelou que nosso filho nasceria homem,e assim foi: Tarin nasceu homem e eu,preocupado, não quis mais filhos para que a maldição não recaísse sobre nós. Mas então Soraya disse,feliz, que estava grávida novamente e eu fiquei feliz por ela,apesar do medo que sentia...mas logo menina nasceu.
Ela não me disse da troca que fizera até que ficou doente poucos dias após o parto. Soraya morreu um mês depois, me deixando viúvo com os filhos. E depois eu a revejo aqui, Luara, e através de magia trouxeste a vida de meu filho de volta. O que quer de mim pela vida de meu filho?

— Não lhe quero mal, Diego, não sei como resolver isso. Vou consultar Bába Olenca para saber como posso ajudar. Não quero nada pela vida de seu filho, eu ajudei Tarin por ser uma criança e não por ser seu filho.Não sou um espírito mau,não sou uma noiva-do-fim da noite como pensas. Saiba apenas que procuro por você desde que o vi pela primeira vez no hotel, mas eu não queria acreditar que existia um amor assim, escrito em pedra. Maktub, não é?
.Compreende como isso é muito estranho para mim?Mas sinto que te amo antes de te ver pela primeira vez.

Ela abraçou-o. Os olhos castanhos dela encontraram os seus e ele a puxou para si,rendido aos encantos dela, tomando-a arrebatadamente pela cintura com os braços e a beijando com sofreguidão. 
Batidas na porta despertou-os do enlace. Diego afastou-a.

— Não, Luara! Não quero que a maldição recaia sobre você. Eu não posso amar mulher alguma! Afasta-te de mim!
Diego passou a mão pelos cabelos anelados, amansando os cachos rebeldes que sobressaíam pela bandana. Em seguida aprumou-se e abriu a porta da Vurdón"

13. Como foi a recepção do público com relação ao seu primeiro livro?

R: Muito boa. Me rendeu O troféu Cecilia Meireles em 2015 e a entrada na academia Luminescência Brasileira ( ALUBRA) além de um titulo de cidadão seropedicense- cidade onde moro- por incentivos culturais ao município.

14. O que te inspira a continuar escrevendo?

R:A vida me inspira,sempre. Gosto de pensar escrevendo rs

15. O que você diria para alguém que está iniciando a escrita do seu primeiro livro?

R: Persista sempre. É uma carreira difícil e tem seus desafios como qualquer outra. Mas vale a pena.

16.Na sua opinião: Qual o pior erro que um autor pode cometer durante a escrita do seu primeiro livro?

R: Ter pressa em publicar,não revisando,  não fazer análise critica, pulando etapas.E escrever por modismo, sem sentir desejo real por desenvolver aquele tema.

17. onde podemos encontrar seus livros para compra? Qual você indica que nossos leitores conheçam primeiro?

Ponto de Ressonância (versão impressa): Loja da editora autografia, Amazon,Livraria cultura e comigo inbox: Mulato Velho- comigo inbox ( facebook) e na amazon,versão e-book.;Coisas de Lorena -Loja da Alfa do cruzeiro edições independentes e comigo inbox. 

18: Qual a sua opinião sobre a literatura nacional nos dias de hoje? Acha que é bem divulgada pelos blogs literários e editoras?

R: A literatura nacional precisa de uma maior acomodação. Muita gente escrevendo para poucos que leem...escrever virou modismo, e o que me preocupa é que como toda moda,passa. Só quem permanecer trabalhando assim que o modismo começar a arrefecer pode ser considerado mesmo um escritor. Respondendo sua segunda pergunta:Não, a divulgação não ocorre não. As Editoras,mesmo as tradicionais,só divulgam livros best-sellers e de autores consagrados.E as por demanda não divulgam. Blogs até divulgam mas poucos fazem um trabalho realmente sério- como é o caso do seu.Muitos apenas querem ganhar livros para depois sortear e promover o blog,infelizmente. Alguns fazem um bom trabalho, mas a maioria não. Não vou citar nomes por questão de ética.

19. Se você pudesse dar um conselho para os seus amigos escritores por meio desta publicação, o que você diria a eles?

R: Pesquisem os assuntos abordados em seus livros-voc~e é um formador de opinião,não se esqueça!E antes de mais nada,continue tentando...e acreditando. A personagem Dory é meu lema,hoje: "Continue a nadar..." . Não estacione, se acomode, ou desista...apenas continue a nadar...

20. Obrigado pela oportunidade de conhecer um pouco mais de seu trabalho. Sucessos! 
Tecnologia do Blogger.