• NOVIDADES

    quinta-feira, junho 01, 2017

    Novelas Exemplares, Miguel de Cervantes


    GO — Novelas Exemplares de Miguel de Cervantes ganha edição inédita no Brasil. A obra "pitoresca" de Cervantes foi publicada em 2015, até então, pela extinta Cosac Naify. Conhecido por seu romance "Dom Quixote", considerado regularmente como o primeiro romance moderno e um clássico da literatura ocidental, Cervantes lança em 1613 "Novelas Exemplares" composto por um conjunto de doze narrativas breves. A obra possui a tradução completa de suas doze novelas e ilustrações (capa e obra) da artista plástica Vânia Mignone. 

    — É impressionante como Cervantes continua importante e agradável 400 anos depois. São textos divertidos, graciosos, fluentes, sensíveis, em que ele vai longe, mas sem ser solene. Dessas doze novelas, cinco, pelo menos, têm o seu humor clássico, o leitor logo vai identificar — nota o gaúcho Ernani Ssó, tradutor do volume, lembrando que uma das raras alusões à obra na literatura brasileira foi feita pelo escritor Dalton Trevisan, no irônico título de seu livro. Leitores mais exigentes poderão facilmente decepcionar-se com a obra, porém, assim como dito pelo próprio Cervantes: “Nem sempre se está nos templos; nem sempre se ocupam os oratórios; nem sempre se lida com negócios, por mais importantes que sejam. Há horas de recreação, para que o espírito aflito descanse”.

    Cervantes trouxe consigo nestas novelas uma série de fatores que acabaram consagrando-a, dentre elas poderemos destacar um Cervantes feminista. Doze novelas onde o protagonismo pitoresco e burlesco traz-nos a tona uma série de problemáticas sociais corriqueiras, como ciúmes, traição, medo, omissão, loucura, esperteza e desventura. Em suas novelas "A força do sangue" e "A ilustre fregona", o autor narra cenas de estupro sem pudor, com todas as letras possíveis, porém, com um diferencial: Suas vítimas possuem voz, elas podem se defender. Para a sociedade castelhana até os dias atuais esta escrita foi uma revolução.

    Novelas Exemplares. Cervantes, Miguel. Rio de Janeiro: Cosac Naify, 2015. 544p. ISB: 97-8854-05092-07

    Compre

    Antes da publicação da segunda parte de Dom Quixote, em 1613, Cervantes lança uma outra aventura: Novelas exemplares. Como gênero literário, a novela já existia, mas, como nota o próprio Cervantes, ele é o primeiro a tentá-la na Espanha. Ele experimenta o gênero em todas as direções possíveis, com relatos bizantinos, cortesãos ou picarescos. E mais: busca estabelecer um padrão realista, fala do cotidiano das pessoas, de uma Espanha que podia ser vista da janela de casa. É interessante notar como ele, filho de uma sociedade machista, sabe das dores femininas e pinta mulheres inteligentes e espirituosas, quando outros as queriam apenas lindas e submissas. É exemplar como Cervantes, homem de temperamento satírico, conseguiu despistar a censura, deixando transparecer entre exaltações aos reis e à Igreja, seu país violento e sensual, trapaceiro e cobiçoso, em que o estupro, por exemplo, é aceito com naturalidade, e um casamento é o único sinal de respeito que se tem pelas mulheres. A edição traz aparatos críticos de estudiosos do autor, notas, poemas em sua versão original e ilustrações.

    Confira algumas imagens da obra: