Ads Top

Boys: Um romance gay (livre de clichês)

Boys | Dirigido por: Misha Camp | Foto: Reprodução

BOYS. Mischa Kamp. Estados Unidos, 2016.

Sieger (Gijs Blom) é um atleta de 15 anos de idade, em fase de treinamento para uma competição de revezamento. A rotina é alterada pela chegada de um novo membro da equipe, Marc (Ko Zandvliet). Os dois descobrem interesses em comum e se tornam amigos próximos, até perceberem que possuem sentimentos um pelo outro. Sieger tenta esconder a sua atração, mas logo descobre que seu amor é grande demais para ficar em segredo.

Um romance gay, sem clichês.
Boys | Foto: Reprodução

Sim, este filme é uma obra-prima. 
BOYS é um filme holandês produzido no ano de 2014. O filme é uma romance/drama que narra a vida de Sieger que mora juntamente com seu pai Theo que ficou viúvo recentemente, e com seu irmão Eddy, que encontra-se sobrecarregado com a ausência da mãe. Sieger é membro da equipe local de atletismo. Após ter sido escolhido juntamente com seu melhor amigo (Stef) e outros dois meninos — Tom e Marc — para representar a comunidade local. Com o passar do tempo, Sieger vai tornando-se cada vez mais próximo de Marc, e isso desperta em si sentimentos que ele desconhece, mas que sente um intenso desejo de descobrir um pouco mais sobre.  
Após uma série de treinamentos intensos, Marc e Sieger decidem tomar banho em um rio próximo, e acabam trocando um beijo que o deixa ainda mais confuso sobre tudo o que sentia a respeito de si e de seu amigo Marc.
Esta é uma história do dia-a-dia de qualquer pessoa que se apaixona. O filme em si não é apenas focado no romance dramático que envolve ambos os protagonistas, mas também todas as dificuldades que vão surgindo no caminho com relação aos próprios sentimentos e o medo das novas descobertas e aventuras. O filme está disponível na plataforma de streamming da Netflix.
Boys | Dirigido por: Misha Camp | Foto: Reprodução

Existem dois pontos extremamente atrativos neste filme.
  1.  A maioria das pessoas possuem uma visão deturpada acerca de como surge um relacionamento gay. A maioria das pessoas possuem aquela visão de que tudo não passa de uma aventura sexual, e não, não é assim que funciona. Assim como um cara conhece uma garota, sai algumas vezes, trocam palavras carinhosas, presentes, se conhecem, namoram e casam, assim também é no universo LGBT, mesmo que você não veja.
  2. O roteiro me lembrou muito a simplicidade do roteiro de "de repente, Califórnia", por abordar as questões sexuais entre dois iguais de uma forma diferente e inusitada: Tal como ela se dá, e não como as pessoas imaginam. Isto é revolucionário. 
Enquanto Sieger e Marc trabalham arduamente para uma competição que está prestes a acontecer, existem alguns paralelos que trazem ênfase ao roteiro que não limita-se a trabalhar somente as questões sexuais dos protagonistas. Marc possui uma excelente criação e uma mãe extremamente carinhosa e mora juntamente com sua irmã mais nova de sete anos, já Sieger perdeu a mãe recentemente e está morando com o pai que esforça-se para manter a casa em ordem e com seu irmão Eddy, que está passando por uma fase extremamente difícil de superar: O luto.

Em um emaranhado de questões que vão surgindo no desenvolver do roteiro, é quase que impossível não desejar um segundo filme para boys, já que o primeiro é tão bom, que deixa aquele gostinho de quero mais.

Merece todas as avaliações positivas que eu for capaz de dar.
 
Marc | Reprodução

Sieger | Reprodução

Marc e Sieger | Reprodução

Marc e Sieger | Reprodução

Marc e Sieger | Reprodução

Marc e Sieger | Reprodução

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.