Ads Top

[RESENHA #169] As crianças invisíveis do sinal vermelho, Oliver Fabio

Acervo Pessoal | Divulgação

Poucas histórias me provocam inquietações e me remetem a pensamentos reflexivos como esta. As crianças invisíveis do sinal vermelho, é uma cartilha de um conto único, constituinte de um projeto literário (HC) idealizado e realizado pelo autor Oliver Fábio. 


As crianças são os únicos seres divinos que a nossa pobre humanidade conhece. — Eça de Queiroz

O conto narra a vida de seis irmãos, sendo eles: Enrique, Ryanna, Katy, Jason, Lady e Gabriel, que são filhos de Selma e Samuel. Tudo se passa pelas ruas de Brasília (DF), contando-nos o dia-a-dia de uma família entre tantas outras que vivem na miséria entre um semáforo e outro. O autor trabalha sua escrita de uma forma tão magistral, que o leitor tem livre acesso para tirar algumas conclusões a respeito da família que não são apresentadas no livro. 


E seus pais? Selma e Samuel vagavam por aí, só se encontravam à noite, quando todos regressavam com suas moedas — pág. 4

É incrível como um assunto tão comum nos dias atuais é tão pouco explorado na literatura, porém, Oliver Fabio mudou este conceito e trouxe-nos luz acerca de um tópico que requer uma narrativa mais abrangente, e ele a faz em vinte páginas. É quase que impossível não refletir na própria vida ao ler sobre a vida de seis irmãos que nada possuem na vida, a não ser um ao outro. Refletir acerca daquilo o que temos e agradecer pelo o que a vida nos oferece, talvez este conto seja uma experiência de vida para todo leitor, afinal, a visão que teremos sobre felicidade aqui é tão simples, que nos colocamos a pensar: será que eu realmente sei o que é ser feliz? Eles comiam resto de comida, trabalhavam no sinal, não possuíam boas vestes e eram filhos de pais que aparentemente não se importavam em nada — nem mesmo com os próprios filhos —.

Como toda criança, as que estão presentes neste livro se contentam com pouco. A maior felicidade pela qual já passaram é saborear um saquinho de biscoitos fresquinhos e um refrigerante, fora isso, a rotina era sempre a mesma: Semáforo fechou, é hora de entrar em ação e vender a pipocas doces que a mãe preparava para venda. 


(...) Só tinha conseguido dois copos, teriam que dividir. parecia o melhor lanche da vida deles. O refrigerante estava tão geladinho, como jamais haviam bebido [...] — pág. 05
O conto é uma visão expandida do universo daqueles que nada possuem além de uns aos outros. Os irmãos são inseparáveis e vivem sonhando apenas com o momento em que irão voltar para casa para rever a mãe e comer as "deliciosas sobras" que o pai encontrou nos lixos da cidade enquanto catava papelão e recicláveis. 

O ápice desta história ocorre ao final de um dia qualquer. Todos estão cansados e com frio, porém, decidem invadir um prédio abandonado e brincar de pique-esconde antes de ir para casa, porém, algo de muito estranho acontece. A noite chega e o silêncio toma conta do ambiente, um local onde usuários de craque se refugiavam para se esconder e alimentar seus vícios. Durante a brincadeira, todos os irmãos desaparecem por completo, deixando o pequeno Gabriel assustado e com medo, até que alguém aparece com uma lanterna e algo de muito horrendo está prestes a acontecer. Devo dizer que este conto tomou rumos e proporções que eu jamais imaginaria que fosse tomar. 

O autor conseguiu trazer uma história extremamente reflexiva com traços de simplicidade e ocasionalidades que deram um toque sombrio dentro de uma ficção que é a realidade de tantos. É triste saber que uma história tão boa conta apenas com vinte páginas, por mim, eu leria mais outras quatrocentas páginas com personagens tão cativantes como estes.

Há algo que você precisa conhecer nesta família.

Visite o website do autor: http://www.oliverfabio.com/

SOBRE O AUTOR

Oliver Fábio é um jovem escritor e designer gráfico. Nasceu em Brasília, tem 32 anos e fez a sua estreia com o livro E o céu de Miramar? e o segundo se chama Um Tapa, um fato. Ama a Argentina, tango e músicas hispânicas, elementos que o inspiram a criar suas narrativas, repletas de dramas, suspense, romance e de uma pitada de fábula, tudo isso em uma sintonia muito convincente e arrebatadora. Oliver Fábio desponta no cenário literário como uma nova promessa nacional e promete conquistar o público com histórias intensas, cativantes e com bastante ritmo.

[full_width]
Tecnologia do Blogger.