• NOVIDADES

    terça-feira, setembro 05, 2017

    [RESENHA #184] O beijo da Meia-Noite, Lara Adrian

    Foto: Márcio Zanini | Acervo pessoal | Divulgação
    O beijo da meia noite. ADRIAN, Lara. São Paulo, Universo dos livros. 2017, 400p. ISB 978-85-7930-195-7  

    SINOPSE : Gabrielle Maxwell é uma renomada artista plástica que vive na cidade de Boston. Abandonada pela mãe ainda na infância ela carrega uma marca de nascença que mudará sua vida. Depois de uma exposição de fotos bem-sucedida é testemunha de um assassinato sangrento. Transtornada com as cenas de terror ela procura explicações... E apenas um homem, Lucan Thorne, será capaz de ajudá-la. Lucan despreza a violência de seus irmãos sem lei. Ele próprio um vampiro, é um guerreiro da Raça, e jurou proteger sua espécie – e os humanos – da ameaça crescente dos Renegados. Lucan não pode arriscar um relacionamento com uma mulher mortal, mas quando seus inimigos escolhem Gabrielle como vítima, sua única escolha é trazê-la para o escuro submundo que comanda. Agora, nos braços desse intimidante líder da Raça, Gabrielle enfrentará um destino extraordinário, repleto de perigos, sedução, e dos mais sombrios prazeres...

    Resenha por: Márcio Zanini 

    Eu sou fã da série Irmandade da Adaga Negra. Quando vi que a capa de O Beijo da Meia Noite trazia uma sitação de J.R. Ward, ficquei animado e claro que tive que conferir. Afinal, vampiros e sedução são temas que combinam, que eu gosto e até escrevo sobre.
    “Sedutor, erótico, intrigante.” J.R.Ward

    É sobre o que?
    Gabrielle é uma artista sensível e com grande capacidade de percepção. Suas artes possuem um atenuante entre luz e sombra acrescentados de maneiras nunca antes vista. O que a torna não somente mais uma entre tantos artista, mas sim a deixa especial, se sobressaindo com essa peculiaridade. Apesar disso, ou melhor, talvez por causa disso, ela se sente diferente. Sente que não se encaixa, um certo grau de dificuldade nos convivios sociais que ela tenta evitar. Mas por ser muito querida, há momentos que se torna impossível evitar certos convites.
    É em uma dessas saídas noturnas após uma exposição que ela conhece Lucan Thorne em uma boate. Que a observa de canto. A noite é carregada de bebedeira dos clientes, confusão e um assassinato horrível que Gabrielle, testemunha. O que só serve para chamar ainda mais a atenção de Lucan para ela. Curioso ele começa a investigar o que aconteceu e invitavelemtne acaba entrando na vida da moça. Ou trazendo ela para a vida dele?

    “Os rapidos clarões das luzes lançavam suas feições na sombra profunda, mas os olhos de Gabrielle o interceptaram na mesma hora.” Pg18

    Depois disso o livro segue a linha ação, revelações de um mundo até então oculto para Gabrielle e principalmente, como o amor e desejo por Lucan vai permear suas decisões e pensamentos, fazendo ela ser parte da vida dele e desse mundo vampírico.

    “ A meia duzia de humanos adentrou o recinto como se fosse gado — exatamente o que eram, mercadorias de carne e osso destinadas a trabalhar ou morrer, conforme ele considerasse mais apropriado.” Pg167

    As duas histórias, a de Garielle e de Lucan, são trabalhadas maravilhosamente. Vão se apresentando aos poucos e aguçando ainda mais a curiosidade do leitor. Cada um com sua personalidade e segredos a serem revelados. Não só dos dois, mas do mundo próprio criado pela autora. Tudo de maneira descritiva na medida certa.

    Na medida certa também, ou quem sabe, de maneira certa. As cenas sexuais são de fazer mãos suarem. Não somente o ato em sí, mas todo o psicológico por trás que as cenas carregam, principalmente o fato de Lucan, um lider que abaixa todas as guardas perto de Gabrielle, e nesses momentos íntimos, ela passa a ser a lider. Prepare-se para sonhar e fantasiar muito.

    Tá, e é bom?

    Apesar de ser impossível eu não comparar O Beijo da Meia noite com a Irmandade da Adaga negra, O Beijo da Meia Noite, não é bom, é ÓTIMO. E você vai se viciar rapidamente, acredite. Eu já não vejo a hora de ler os outros volumes (são 14 até o momento).

     Há muitas similaridades. Mas garanto, isso não é ruim. Ambos os livros, tratam do mesmo tema, e por isso, são similares. Mas a escrita, o universo, que de primeiro momento é parecido, vai se distanciando a medida que os fatos vão se desenrolando.

    Essa comparação que faço é boa no sentido de que, se você gostou da Irmandade, então vai amar esse. Pelo clima, sedução, suspense e erotismo vampírico que acontece nas páginas. Com certeza vai te prender assim como a Irmandade prendeu.

    Foto: Márcio Zanini | Acervo pessoal | Divulgação

    Agora, se você não conhece nada a respeito desse universo. Saiba que ele é intenso, erótico, e explicito, para maiores de 18. E que, você não vai conseguir largá-lo até que a ultima página seja lida. Em alguns momentos é bem possível que bata até uma tristeza ao imaginar que a qualquer momento você pode virar a ultima página. Principalmente mais pro final, quando a ação e o desfeicho aumentam. O lado bom disso, é que a série Middnight Breed tem mais volumes já publicados.

    Em resumo, é excelente para quem curte o gênero.

    Eu mesmo, que não tinha mais livros da Irmandade para ler, quando me deparei com essa coleção, foi um sopro de ar fresco pra um viciado no tema.

    Nenhum comentário: