• NOVIDADES

    sexta-feira, setembro 15, 2017

    [RESENHA #185] Escutei dentro de mim, Juvenal Arruda

    Escutei dentro de mim, Juvenal Arruda | Autografia Editora | Acervo Pessoal 

    ESCUTEI DENTRO DE MIM. ARRUDA, Juvenal. Editora Autografia, 2016. 86p. ISB 978-85-5526-884-7 / R$35,00

    Todo mundo tem sentimentos e lembranças guardadas dentro de si. Às vezes, eles ficam dentro de nós por anos, sem nunca serem expostos e revelados aos outros. Juvenal Arruda, embora não seja um jovem tímido, costuma se dizer melhor por meio da sua arte predileta –a poesia! Através dela, ele coloca, para quem quiser ver, sentir, saborear, seus sentimentos mais íntimos sobre diversos assuntos, como: amor, felicidade, paixão, sonhos e tantos outros temas que norteiam nossa existência. O autor nos convida a fazer poesia, sem necessariamente escrevê-la, basta abrir o coração, ativar a memória e escutar sua voz interior.


    O que você escuta dentro de sí quando fecha os olhos? Que memórias você costuma ouvir quando pensa no passado, no presente...Quando pensa em todas as lembranças que o tornaram quem você é? O que você ouve seu coração dizer quando bate a insegurança? Talvez você escute muitas coisas, mas não expressa nada. Em "Escutei dentro de mim", iremos conhecer um pouco das lembranças, memórias e sentimentos expressos pelo autor Juvenal Arruda. Somos convidados a sentir todo seu âmago e conhecer sua prolificidade para com a escrita.

    Escutei dentro de mim, Juvenal Arruda | Autografia Editora | Acervo Pessoal 

    O livro publicado através da editora Autografia conta com 42 poemas e foi um sucesso absoluto em sua pré-venda, esgotando todos os exemplares disponíveis. Em uma série marcante de palavras, Juvenal conduz o leitor à uma viagem ao seu interior exteriorizado em palavras. Viajaremos pelas linhas de da certeza de quem faz o nosso tempo repleto de anseio, somos nós.

    Quero aproveitar cada instante
    deste curto espaço
    Gosto de construir futuros
    com minha vontade de ir além.
    Vou me encontrando todos os dias.
    Firmando o fato de ser sujeito-alguém.
    Penso no amanhã com anseio
    de viver o futuro mais próximo.
    Enquanto isso, minha existência
    ronca com fome do agora. — Anseio (pág. 16)

    Certamente, e sem a menor sombra de dúvida, o que mais chama atenção do leitor a escrita do autor Juvenal é a profundidade de suas palavras. A forma como a qual o autor aborda o sentimento, e o expõe de forma crua e direta, é algo que realmente impressiona. Poderemos notar a evolução de seus pensamentos no decorrer da escrita, isso se intensifica entre o poema que dá nota de abertura ao livro, intitulado "nosso tempo", e finaliza-se no poema que recebe o título de "meu tempo".

    Novamente abafo o grito que lateja dentro de mim.O passado volta com seu fascínio, me fazendo reviver o que teimo em querer apagar. Mas a verdade — fato cruel que é verdade — é que eu não posso esquecer, eu não vou esquecer (...) Vou me afogando nas lembranças, no torpor de um amor diluído por lágrimas e ressentimentos. Vou me enganando nesta bolha que estou confinado, pela qual ouço as pessoas, mas não permito que o meu coração seja tocado por elas. — [Nosso tempo, pág. 07]

    E a evolução dos sentimentos no concretizar de suas palavras durante a finalização de sua escrita, e seu misto de certezas:

    Imerso nessa crise de identidade e nessa busca delirante por espaço, me vi de frente ao espelho, repleto de pelos, com o rosto confeitado de espinhas, murmurando com uma voz trovoada. (...) Dizem que somos exagerados, mas nada é tão exagerado do que ser pego de surpresa, dentro de uma fase que não nos cumprimenta e simplesmente acontece dentro de nós sem pedir licença. É mais que exagero, é uma falta de educação da vida. [Meu tempo, pág. 83 ]


    O livro mostra-nos a evolução da vida em seus primícias e delícias. A infância, o desenvolver da maturidade, a insegurança, incertezas, os medos, as vontades e sobretudo, a saudade.

    Realmente um livro digno de ser lido. Recomendo para todos os fãs de poesias contemporâneas, mistas e memoráveis.


    O AUTOR:
    Juvenal Ferreira Arruda Filho nasceu no dia 4 de outubro de 1993, na cidade de Sobral-CE. Desde os onze anos de idade já mostrava talento para a escrita, ganhando alguns concursos de redação na escola. Aos quinze anos decidi,u que publicaria um livro de poesia, assim manteve uma agenda, chamada a agenda azul de poemas. Com as recusas de várias editoras, Juvenal Arruda encontrou na Autografia sua chance de publicar sua obra Escutei dentro de mim.

    Nenhum comentário: