Ads Top

[RESENHA #201] Poemas do fim do mundo, Eriberto Henrique

Eriberto Henrique, Autografia | Acervo Pessoal 

POEMAS DO FIM DO MUNDO. Henrique, Eriberto. São Paulo: Autografia Editora. 2017, 88p ISB 978-85-518-0164-2 / R$ 37

Poemas do fim do mundo foi um livro que surgiu como uma brincadeira, na época que foi escrito, estava rolando o boato que o mundo ia acabar, devido a mais uma profecia sobre o fim do mundo. Em consequência a tudo isso, eu decidi escrever um livro que seria como uma reflexão sobre coisas de minha vida, e da vida de muitas pessoas que conheço, como uma despedida de um ciclo, que acabando o mundo ou não iria se findar, para que novos ciclos se formassem, ou melhor, novos mundos.


E quem foi que disse que a criatividade tem local e hora? “Poemas do fim do mundo”, é uma coletânea de 86 poemas escritos pelo pernambucano Eriberto Henrique e publicado pela editora autografia. O livro possui uma premissa um tanto instigante e curiosa. 

O livro é uma coletânea de poemas que procuram narrar o existencialismo pré - apocalíptico, tratando as questões ligadas ao fim do mundo de uma forma instigante e despretensiosa. Em linhas transitórias alternativas conheceremos em estrofes a ultima quarta do mês, o último mês, o último abraço e a última vista antes do apocalipse (fim dos tempos).

ÚLTIMA TERÇA DO MÊS

As janelas estão fechadas,
A penumbra ajuda o espírito meditar,
E de olhos fechados os sonhos parecem tão perto.
Eu gostaria tanto de escrever para você,
Mas lembrei que desisti de te esperar,
Desisti de te buscar,
E desisti de desistir. (p.12)

O autor usa e abusa de uma escrita ousada, repleta de sentimentalismo, onde encontramos desespero, tristeza, arrependimentos, mágoas e vontades.

ESTAÇÃO RODOVIÁRIA
Trilhos paralelos,
Assimétricos,
Horizontais,
Levando ao destino.
Que destino?
Quem sabe para onde realmente vamos
Quando saímos de nossos lares
Arrastando cargas, fardos,
Desconhecidos e conhecidos de nossos conscientes? (p.53)

         Assim como todo poema, os de Eriberto Henrique são ricos em sonoridade, possuindo uma estética quase que perfeita em conjunto com uma série de reflexões que se baseiam no medo do homem, daquilo o que não se pode ser feito e daquilo o que foi deixado de lado.

Poemas do fim do mundo é mais do que um conjunto artístico de escrita, é sobretudo, um emaranhado de questões sentimentais ligadas ao coração e ao caminho que escolhemos seguir em nossas vidas. Indicado para todo amante de uma escrita despretensiosa e instigante.

O AUTOR
Eriberto Henrique da Silva nasceu em 04 de abril de 1985, na cidade de Jaboatão dos Guarapes, PE. Cursa Letras na Uninassau. Serviu nas Forças armadas de 2004 a 2008. Atualmente trabalha na segurança de uma empresa de comunicação. Poeta e ilustrador desde criança, tem mais de 1600 poemas escritos. Também escreve cartas, crônicas, contos e romances. Foi professor de desenho pelo projeto escola aberto. Participou do fanzine Mundo Lama Livre Caos no ano de 2009 e da antlogia Verão Caliente no ano de 2015. Apaixonado por literatura; a enxerga como uma libertadora de mentes e sentimentos.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.