Responsive Ad Slot

LANÇAMENTOS

lançamentos

[RESENHA #212] Muitas línguas, uma língua, de Domicio Proença Filho

terça-feira, janeiro 09, 2018

/ by Vitor Lima
Reprodução | Acervo Pessoal | Grupo Editorial Record

MUITAS LÍNGUAS, UMA LÍNGUA. FILHO, Domicio Proença. São Paulo: José Olympio, 2017. 672p. / R$ 56,80 - R$89,90

Alguma vez você já se perguntou o porquê de existir diferença entre fala e escrita no português brasileiro e o português de Portugal — e países lusófonos —? A chance de sua resposta ser sim é quase nula. Isso acontece por que a escrita e fala se adequa com o tempo, cultura e meio em que se é inserida, fazendo com que o processo de mudança e adaptação da linguagem, torne-se praticamente imperceptível aos nossos olhos. Em “Muitas línguas, uma língua”, Domicio Proença Filho, presidente da Academia Brasileira de Letras, investiga as transformações que ocorreram no Português brasileiro, idioma este que chegou juntamente com a frota de Pedro Álvares Cabral.

Proença Filho também apresenta-nos uma série de análises comprobatórias com relação ao desenvolvimento da linguagem em terras brasileiras. Uma análise histórica que traça uma linha direta entre sociedade, história e cultura. O desenvolvimento do Português Brasileiro ocorreu de forma gradativa, o que fez com que os adeptos ao uso da linguagem não percebessem as modificações sofridas no idioma, tanto falado, quanto escrito. A mistura de raças presente na história do Brasil é um grande fator que contribuiu para o desenvolvimento do português no Brasil tal como conhecemos, e para comprovação desta ideia, o autor recorre às raízes da história do Brasil colônia para explicar de forma clara e objetiva como elementos das línguas e dialetos indígenas e africanos contribuíram para a formação/modificação do português em terras brasileiras, diferenciando-o do falar de outros países lusófonos.

E o português brasileiro, portanto, naquilo em que se afastou do português de Portugal é historicamente o resultado de um movimento implícito de africanização do português europeu arcaico e regional, e, em sentido inverso, do aportuguesamento do africano, sobre uma base indígena pré-existente e geograficamente mais localizada no Brasil. — p47.

Uma obra sobre o processo de formação do português brasileiro. Domicio convida-nos a fazer um passeio pela história do Brasil, em que frisa fatos históricos e sociais, e aponta as transições pelas quais a língua passou ao longo dos séculos. A partir de textos representativos, Domicio lança também um olhar agudo sobre a utilização do português brasileiro nas múltiplas circunstâncias do convívio comunitário: a relação entre a fala e a situação de fala; o papel da escola; as variantes geográficas, sociais e expressivas; a língua e a inclusão social. Num texto claro e objetivo, o acadêmico reúne teoria e sua experiência eminentemente no ensino da língua, para trazer ao leitor riquíssimas abordagens que integram cultura, literatura e a fascinante história da língua portuguesa no Brasil.

Muitas Línguas, uma língua | Domício Proença Filho | José Olympio

A obra é composta por seis capítulos distintos que possuem o mesmo intuito: explicar à origem das mudanças que ocorreram no português de Portugal durante os períodos da história para formação do português brasileiro em um processo gradativamente ligado a história e formação da sociedade.

O autor recorre a uma série de textos escritos nos cinco séculos de história do país, na sua grafia original, começando com trecho da carta de Pero Vaz de Caminha e finalizando com trecho da crônica “Em Portugal se diz assim”, na qual Rubem Braga destaca as diferenças entre o português falado hoje e o da antiga corte.

Algo que realmente chama atenção para o estudo do autor é sua autenticidade e narrativa. O livro todo é composto por uma linguagem clara e abrangente com relação às alterações sofridas no idioma brasileiro e suas variantes nos dias atuais. O autor explica no sexto capítulo do livro como o Brasil tornou-se um país unilíngue e multilíngue ao mesmo tempo, variantes de uma geografia vasta e rica em costumes, história e cultura própria ou herdada como efeito da miscigenação presente em toda a história do país.

A era digital também contribuiu significativamente na forma como as pessoas se comunicam na atualidade. Para Domício, a linguagem deve ser adaptada ao ambiente em que se é praticada. A partir da página 572, o autor inicia uma análise sobre como as pessoas se comunicam em determinados ambientes, os impactos sofridos no uso da linguagem e a forma sobre como o desenvolvimento da linguagem ocorre de tempo e momento. Algo incrivelmente cativante neste livro é a forma como o autor trabalhou na escrita usando de diversas referências bibliográfica ao fim de cada capítulo, citações nos subtítulos e exemplos claros de como o português transformou-se com o passar do tempo, citando trechos de livros, jornais, documentos e textos de épocas distintas para traçar uma linha comparativa.


O AUTOR

Professor Titular de Literatura Brasileira (1971-1992), Professor Titular Convidado de Literatura Brasileira (1994-1996) e Professor Emérito da Universidade Federal Fluminense (2002), aposentado, após 38 anos de trabalho docente, nos cursos de graduação e de pós-graduação. Atuou em inúmeros outros estabelecimentos de ensino médio e superior no Brasil e no exterior, entre outros:

Nenhum comentário

Talvez você se interesse...
© all rights reserved
made with by templateszoo