Responsive Ad Slot

LANÇAMENTOS

lançamentos

[RESENHA #232] O alienista, de Machado de Assis

O Alienista é uma célebre obra literária humorística do escritor brasileiro Machado de Assis. Confira nossa resenha !

quarta-feira, abril 25, 2018

/ by Vitor Lima
O alienista, L&PM


O Alienista é uma célebre obra literária humorística do escritor brasileiro Machado de Assis. Muitos o Consideram um conto, mas a maioria dos críticos e especialistas o consideram uma novela por causa da sua estrutura narrativa. Publicado originalmente pela primeira vez no ano de 1882, o alienista narra as aventuras do Dr. Simão Bacamarte juntamente com sua mulher D.Evarista em uma cidade do interior. Após perceber que todas as áreas de medicina estavam sendo ocupadas — não somente no quesito estudo, mas também formação — Dr Bacamarte, que já estava sendo reconhecido por sua profissão na Europa e no Brasil, decide voltar para sua cidade natal chamada Itaguaí, e lá ele opta por iniciar seus estudos em uma área que até aquele momento ninguém havia ousado ou tentado obter êxito: A psiquiatria. Claro que o Dr não obteve auxíliou e apoio de todos, porém, arriscou buscar ajuda na câmara dos vereadores e conseguiu o que tanto almejava: apoio para iniciar seus estudos em um local que viria a ser construído posteriormente. Dada a largada, Dr. Bacamarte levanta um local no centro da cidade e o batiza de "Casa Verde" devido a cor de suas janelas e inicia seu processo de estudo recolhendo pessoas, que segundo ele, não estavam sãs mentalmente. Após um certo período de tempo, as pessoas começaram a se perguntar se aquilo realmente estava certo e qual a real definição de loucura, já que o Dr estava internando pessoas que outrora estavam completamente sãs e inseridas na comunidade, porém, as internações foram seguindo para que o Dr tivesse um objeto de estudo e de observação.

Empenhado nos estudos, Dr Bacamarte começou a se distanciar de sua mulher D. Evarista, que não era nem bonita e nem formosa, porém, a julgou sã mentalmente o suficiente para gerar filhos. Mas o distanciamento do médico de sua mulher a deixou deprimida, pelo menos o suficiente para que ele lhe desse dinheiro o suficiente para conhecer toda a cidade do Rio de Janeiro, e assim foi feito. Porém, ao retornar a Itaguaí a mulher avista seu marido com a mesma fixação nos estudos. Enquanto isso, do lado de fora da casa verde Porfírio — barbeiro da cidade — decide iniciar uma revolução contra a casa verde, visando denunciar o Dr Bacamarte por seus atos ilegais, afinal, ele recebia dinheiro de seus hóspedes para continuar com o projeto, porém, seu movimento perde força quando é anunciado que o Dr. Bacamarte não mais cobraria por seus serviços, então a teoria de que tudo aquilo seria puramente por dinheiro cai por terra. Porém ele não desiste, e o pouco que sobrou do movimento decide ir furioso até a casa verde para protestar, porém, o Dr os recebeu tão bem e tão amavelmente que todos se resignaram com a situação, inclusive o próprio Porfírio, que após uma reunião com o Dr, decidiu aliar-se a ele apoiando seu projeto, o que o tirou do poder daqueles que estavam dispostos a apoiar um movimento que o próprio havia iniciado, mas sua ambição mesmo era pelo poder, até mesmo porque ele opta em não participar de uma segunda rebelião contra o projeto do Dr. Bacamarte. 

Após uma série de observações, o Dr. nota que praticamente 75% de toda a cidade de Itaguaí está sob custódia da casa verde. Após uma reflexão árdua, o Dr. decide soltar todos os moradores da casa verde para iniciar novamente o projeto, afinal, alguns dos internos tinham apenas um certo desvio comportamental, mas isso não queria dizer que estavam loucos. O projeto toma força novamente e o Dr começa a internar novas pessoas na casa verde, tendo como primeiro interno o Vereador Galvão, responsável por votar a favor da lei que proibia os vereadores de serem internados, porém, ele é solto juntamente com outros internos que aparentemente encontravam-se curados.

E após analisar seu fracasso com suas experiências e observações na casa verde, Dr. Bacamarte opta que após analisar todas as pessoas da cidade, a única que aparentemente encontrava-se fragilizada e apresentando desvios comportamentais significativos era a dele mesmo, então acaba optando por se trancar para sempre na casa verde.

UMA SÍNTESE MAIS COMPLETA:

Após conquistar respeito em sua carreira de médico na Europa e no Brasil, o Dr. Simão Bacamarte retorna à sua terra-natal, Itaguaí, para se dedicar ainda mais a sua profissão. Após um tempo na cidade, casa-se com a já viúva D. Evarista, uma mulher por volta dos vinte e cinco anos e que não era nem bonita e nem simpática. O médico a escolheu por julgá-la capaz de lhe gerar bons filhos, mas ela acaba não tendo nenhum.
Certo dia o Dr. Bacamarte resolve se dedicar aos estudos da psiquiatria e constrói na cidade um manicômio chamado Casa Verde para abrigar todos os loucos da cidade e região. Em pouco tempo o local fica cheio e ele vai ficando cada vez mais obcecado pelo trabalho. No começo os internos eram realmente casos de loucura e a internação aceita pela sociedade, mas em certo momento Dr. Bacamarte passou a enxergar loucura em todos e a internar pessoas que causavam espanto. A primeira delas foi o Costa, homem que perdeu toda sua herança emprestando dinheiro para os outros, mas não conseguia cobrar seus devedores. A partir daí diversas outras personagens serão internadas pelo alienista.

Enquanto essas internações vão se sucedendo e deixando a população da cidade alarmada, D. Evarista encontra-se em uma viagem pelo Rio de Janeiro. Ela havia ficado muito deprimida pela pouca atenção que o marido lhe dava, quase voltando a se sentir uma viúva novamente, e ganhara do Dr. Bacamarte uma viagem para conhecer o Rio. Todos na cidade viam na volta de D. Evarista a solução para as inesperadas internações feitas pelo alienista. Porém, mesmo após ela retornar à cidade, o Dr. Bacamarte continuou agindo da mesma forma.

Com o tempo, clima se torna cada vez mais tenso na cidade, e o barbeiro Porfírio, que há muito almejava ingressar na carreira política, resolve armar um protesto. Porém, quando se descobre que o alienista pediu para não receber mais dinheiro pelos internos, generaliza-se a crença de que as inúmeras reclusões não seriam movidas por interesses econômicos mesquinhos, e o movimento se enfraquece. Porfírio, no entanto, movido por sua ambição de chegar ao poder, consegue armar a Revolta dos Canjicas (o barbeiro era conhecido por "Canjica"). A população se dirige para a casa do Dr. Bacamarte para protestar, mas é recebida por ele com muita tranquilidade. Por um momento, a fúria do povo parecia ter sido controlada, mas a população se revolta novamente quando o alienista lhe dá as costas e volta a seus estudos.

É quando a força armada da cidade chega para tentar controlar a população. Porém, para a surpresa de todos, a polícia se junta aos revoltosos, e Porfírio se vê em uma posição de poder, como líder de uma revolução. Resolve, então, dirigir-se até a Câmara dos Vereadores para destituí-la. Agora com plenos poderes, Porfírio chama o Dr. Bacamarte para uma reunião, mas, em vez de despedi-lo, junta-se a ele e assim as internações continuam na cidade.

Dias depois, 50 apoiadores da Revolução dos Canjicas são internados. Outro barbeiro, o João Pina, levanta-se contra e arma uma confusão tão grande que Porfírio é deposto. Mas a história se repete, e o novo governo também não derruba a Casa Verde. Pelo contrário, fortalece-a. As internações continuam de forma acelerada, e até D. Evarista é internada após passar uma noite sem dormir por não conseguir decidir que roupa usaria numa festa.

Por fim, 75% da população da cidade encontrava-se internada na Casa Verde. O alienista, percebendo estava errado, resolve libertar todos os internos e refazer sua teoria: se a maioria apresentava desvios de personalidade e não seguia um padrão, então louco era quem mantinha regularidade nas ações e possuía firmeza de caráter. Com base em sua nova teoria, o Dr. Bacamarte recomeça a internar as pessoas da cidade, e o primeiro deles é o vereador Galvão. Ele havia proposto na Câmara uma lei que impedia os vereadores de serem internados. Assim, as internações continuaram. Outras pessoas, porém, são consideradas curadas ao apresentarem algum desvio de carácter
Após algum tempo, o Dr. Simão Bacamarte percebe que sua teoria, mais uma vez, está incorreta, e manda soltar todos os internos novamente.

Como ninguém tinha uma personalidade perfeita, exceto ele próprio, o alienista conclui ser o único anormal e decide trancar-se sozinho na Casa Verde para o resto de sua vida.

Síntese disponível na Wikipédia, a enciclopédia livre. ®

Nenhum comentário

Talvez você se interesse...
© all rights reserved
made with by templateszoo