Responsive Ad Slot

LANÇAMENTOS

lançamentos

[RESENHA #261] Olhar de Andorinha, de Rogério Bernardes

quinta-feira, julho 26, 2018

/ by Vitor Lima
Arte da capa de “Olhar de Andorinha”, créditos a @WolneyFernandes

Olhar de Andorinha. BERNARDES, Rogério Viana. São Paulo: Scortecci Editora, 2014, 1º ed. 144p 

RESENHA

Olhar de Andorinha é um livro de poesia de autoria do autor carioca Rogério Bernardes. Publicado no ano de 2014 através da Scortecci Editora, a obra foi divididas sabiamente em sete partes, intituladas: “semente”, “norte”, “descaminho”, “desapego”, “coragem”, “incêndio” e “voo livre”. O livro também conta com prefácio escrito pelo autor Luiz Otávio Oliani e ilustrações de Wolney Fernandes.
Para que possamos falar desta obra, iremos, primeiramente, enfatizar uma ideia explicita pelo autor nos agradecimentos de sua obra, sendo ela “[...] tudo o que me rodeia e me inspira, (...) amor que me dá asas, seja pela dor que finca meus pés no chão”. Pode-se concluir que, saudade, infância e liberdade é o alicerce de toda esta obra. Todas as vezes que eu leio um poema desta obra, me imagino dentro das linhas descritas, é mágico o que um poema faz conosco. Quando você se encontra em um poema em específico, todo o restante contribui para que sua vida seja refletida nas páginas seguintes, tudo se torna palpável e aplicado diretamente a nós. Escritos que contam uma história de descobertas, paixões, autoconhecimento, saudade, vida e morte. Uma obra carregada de uma carga simbólica forte, reforçada no título, a andorinha, aqui descrita, nada mais é do que a personificação poética das fases turbulentas pelas quais transitamos. Os escritos de Bernardes são, acima de tudo, uma saída poética da realidade, e o encontro paralelo com nosso eu interior. Ter os pés no chão, aprisionar-se em sentimentos ou cair em queda livre em um voo? São fases que passamos na vida e que percorrem todas as linhas descritas por Bernardes. Como diz o autor:

“... Meu olhar é de andorinha
A passar o inverno cortante
Com o pensamento distante
No verão ainda não nascido
E a guardar, aquecido em seu ninho
Em um pedaço de pergaminho
O decreto velado do vento
Embalado em veludo o aviso:
Agora voa!”

Versos longos, curtos, rimados ou em prosa, não importa. Aqui, todos os estilos constituem um único objetivo, o de unir o nostálgico do passado com as boas vivências do presente. Memórias e narrativas que perambulam entre o ontem, o amanhã e o agora. Ser menino, ser homem, ser compromissado com a vida e crescer em ritmo com os fatos.
Em síntese, Rogério Bernardes, possuí a alma de um pássaro livre, mas que mostrou-se aprisionado por muito tempo. Um livro escrito para refletir sobre a existência das lembranças, o valor do presente e o planejamento do futuro. Não há o que dizer, só sentir.

O AUTOR

Rogério Viana Bernardes nasceu em São Gonçalo, RJ. Desde criança, viu nos livros não apenas um conjunto de palavras formando sentidos, mas o sentido de sua própria vida. A paixão pela poesia tornou-se um caminho sem volta. Desde 2009 morando em Brasília, encontrou na Capital Federal mais do que um novo lar: a inspiração para criar os poemas aqui contidos. Olhar de Andorinha, seu primeiro livro, é o voo inaugural de um homem que se descobriu poeta ao sonhar ser passarinho.

Nenhum comentário

Talvez você se interesse...
© all rights reserved
made with by Google