Responsive Ad Slot

LANÇAMENTOS

lançamentos

[RESENHA #312] O escritor, de Dalton Menezes

O escritor narra o dilema de todo autor em sua primeira publicação: ceder ou manter. Ou você cede para publicação e se perde, ou mantem sua essência e produz

quarta-feira, março 06, 2019

/ by Vitor Lima


MENEZES, Dalton. O escritor. Bahia: Amazon, Kindle, 2019. 28p

Um enredo realmente cativante. “O escritor” é um micro conto de autoria do autor baiano Dalton Menezes, lançado de forma independente, a obra encontra-se disponível para compra no site da  Amazon.

“O escritor”, conto de Dalton Menezes
O enredo narra à vida de um protagonista que está ansiosíssimo pelo dia da publicação de sua obra. Onde? Em um escritório de uma agência literária. A obra é uma crítica direta à como os autores que sonham em ser publicados se submetem (ou não) as agências para uma publicação, o que na maioria das vezes, ocasiona a perda da essência do escritor. As preocupações são muitas, mas a felicidade em se ser publicado é maior. Todo autor sabe o quanto reuniões que se relacionam de forma direta com nosso material e trabalho é realmente devastador: crises de ansiedade, nervos a mil e um milhão de pensamentos permeiam nossa cabeça. Aqui, o personagem encontra-se ansioso, porém, nota que a realidade é completamente oposta às suas expectativas, principalmente no tratamento que recebe no escritório de sua reunião, sendo deixado na espera por um período aproximado de duas horas.

O autor entra para sua reunião, mas se depara com uma figura um tanto quanto arrogante engravatada. Recepcionado, ele se senta e ambos começam a conversar a respeito da publicação de seu livro. O livro impressiona o agente que vê-se maravilhado com tamanha descrição no enredo, sempre enfatizando passagens e fazendo perguntas acerca de como surgiram as histórias e etc, mas, como tudo na vida tem um porém, aqui não é diferente, aparentemente sua história não era tão interessante assim. A agência – como de praxe – sugere que o autor introduza elementos que chamem mais a atenção do público: vampiros, uma família rica, confusão à ser resolvida, problemáticas onde a protagonista sempre sai por cima, estas coisas, porém, a dica não é bem resolvida — E eu concordo com ele. Quando se deseja publicar uma obra através de uma agência, editora ou de forma direta com o agenciador, é sempre bom ter em mente que história já está pronta (a menos que você julgue que ela necessite de alguns ajustes), uma coisa é alguém opinar em seu enredo, outra é quererem que você o reescreva da forma como eles desejarem, isso não é conselho, é imposição, em outras palavras: se você não escrever da forma como a agência pede/exige/precisa, você não é publicado. E se como dito neste roteiro, a agência lhe disser ter “gostado” da escrita, por que motivo seria necessário mudar todo o enredo? Não há lógica entre o que o agente diz e o que ele faz.


Há uma série de pensamentos que poderíamos pautar com relação ao livro, porém, ele necessita ser lido para ser compreendido em sua magnitude. Não se trata apenas de uma crítica social, trata-se da valorização daquilo o que se cria, dos horizontes dos sonhos e do valor que o seu trabalho e suor lhe custam. Esta é realmente uma obra que lê-se muito rapidamente, mas que nos deixam sempre com um gostinho de quero mais. Eu finalizei a leitura deste e-book em quinze minutos, há quem demore mais e quem demore menos, mas estar sempre atento aos detalhes é importantíssimo.

Indico este livro pra todos os leitores que querem conhecer um universo paralelo da escrita: o lado que ninguém conta. Também indico – e indicaria sempre – pra todo autor que empenha-se em ser publicado, pra que nunca perca de si próprio, de suas origens e de sua escrita. É muito melhor empenhar-se em publicar algo que gostamos e acreditamos ter potencial, do que mudar tudo para agradar e acaba se perdendo de si mesmo OU perdendo-se de sua essência e não conseguir mais escrever pro conta de bloqueios criativos e outros impedimentos que podem vir a surgir quando tentamos ser o que não somos. Escreva sempre por amor, nunca por dinheiro. O dinheiro é a consequência de uma boa escrita, e se você tem gosto por aquilo o que você produz, acredite em seu potencial e vá em frente, nunca desista daquilo o que você não passa uma noite sequer sem pensar. 

Nenhum comentário

Talvez você se interesse...
© all rights reserved
made with by Google