Responsive Ad Slot

LANÇAMENTOS

lançamentos

[RESENHA #315] A rosa selvagem (Família Davon #2), de Simone O Marques

segunda-feira, março 11, 2019

/ by Vitor Lima

ISBN: B07N8H76MW
Ano: 2019 / Páginas: 246
Idioma: português 
Editora: Ler Editorial

William, o barão Davon, é um soldado destemido e homem de confiança do rei, mas carrega a terrível fama de ser violento com as mulheres. Sem se importar com os comentários a seu respeito, acredita estar protegido contra as investidas das damas da corte, mas o rei está determinado a lhe arranjar uma esposa. Entretanto, seu coração será atingido por um inesperado e selvagem encontro. Rose O'Kelly viu sua tribo ser dizimada pelo rival de seu pai e foi obrigada a fugir da Irlanda. Sozinha e sem saber falar a língua dos ingleses, ela vai parar nas terras do mal falado barão Davon. Acolhida pela família da pequena Madeleine, após ser atacada por um homem misterioso, Rose vê seu destino se ligar de forma irremediável ao de William Davon.


MARQUES, O Simone. A rosa selvagem. São Paulo: Ler Editorial, 2019. 246p

A rosa selvagem narra a vida de Rose que viu sua vida se acabar diante de seus olhos quando sua tribo fora dizimada diante de seus olhos, como se não bastasse, seu pai, Seth O’kelly, fora morto de forma cruel pelo rival Roony, líder e guerreiro da tribo vizinha. Agora, em fuga, Rose tenta recomeçar a sua vida enfrentando todos os tipos de problemas e ameaças que se possa imaginar. Rose então vê-se acolhida pela família da doce Madeleine, mas a paz não dura muito. Naquele ambiente vive ninguém mais, ninguém menos que o Barão Davon, um soldado muito conhecido por sua fama horrível com as mulheres, era agressivo, ríspido e “acima da lei”,  seu pai, o rei, está determinado a lhe arranjar uma esposa. Agora, o destino de Rose O’Kelly e do Barão estão em rota de colisão. De um lado temos Rose, mulher guerreira, forte, sofrida, que quer apenas paz e nenhum envolvimento emocional, o que a torna uma rosa com espinhos, do outro, temos Davon, um rapaz grosseiro, ríspido e agressivo com as mulheres.

A trama gira em torno de um conglomerado de questões a se resolver logo de início. A autora trabalha seus personagens de forma clara e abrangente, tornando a leitura extremamente fluída e agradável em diversos os sentidos, principalmente naquele que tange a origem do personagem em questão, isso esclarece algumas dúvidas que surgem durante a narrativa. O cenário construído por Simone ao descrever o palácio do barão William, é fantástico. A escrita em torno de como cada um deles se sente é palpável, tangente e emocionante. Honestamente a escrita da autora é muito bem elaborada e sua capacidade discursiva e descritiva vão além das expectativas. A parte mais interessante é a forma inicial sobre como o barão William Davon conhece suas pretendentes à casamento e o segredo que guardara em cumplicidade com seu irmão. O rei Eduardo decidiu que não seria certo que William permanecesse solteiro, e que tentasse não afugentar as pretendentes, mas que as acolhesse para que assim pudesse escolher uma noiva. Mas, a grande verdade é que o barão é extremamente sensível em algumas partes e completamente confusa em outras, nota-se em sua personalidade que ele possui um certo receio com relação aos relacionamentos, isso é algo nítido, e talvez, isso o torne tão ríspido com as mulheres.

“Embora Eduardo tivesse pedido que ele tentasse não assustar as mulheres, pensava em mostrar seu lado mais tenebroso, quem sabe assim a futura abadessa e sua filha viúva saíssem correndo, assustadas, e o deixassem em paz. E, quem sabe, Eduardo desistisse de casá-lo.”

Após sua fuga, Rose encontra-se destinada a vagar sem rumo, até encontrar alguma outra civilização ou quem a possa socorrer. Rose chega até um local habitado não reconhecido, lá ela se esconde em um estábulo/celeiro, pra se repousar, porém, encontra-se com Willian, e claro, após ter sido vítima de diversas tentativas de estupro, ela o golpeia e foge, desde então, ele jamais a tirara de sua cabeça. A narrativa de Simone é altamente intensa e minuciosamente pensadas. Cada linha lida é um fôlego a menos. Este é o segundo volume da duologia "Família Davon", sendo o primeiro "A noiva do barão", claro, no mesmo segmento, medieval. Existem questionamentos que podem a vir nesta edição, caso não se tenha lido o primeiro livro, e isso é normal. Recomento que leia na ordem cronológica para se ter uma noção da abrangência da novela criada pela autora. 

Considerações: A escrita de Simone impressiona em diversos pontos. A autora conseguiu criar uma novela romântica no estilo medieval e separa-la magistralmente em dois exemplares. O primeiro é o princípio e a apresentação geral de seus personagens, o segundo é uma ênfase que complementa de forma coerente o todo construído anteriormente. A escrita adotada pela autora é rebuscada e altamente fluida, o que permite até mesmo aos leitores mais leigos, acompanhar todos os personagens que surgem em meio a narrativa de Davon. Esta autora possui uma capacidade descritiva que não se mede em palavras, e isso é fato. Simone usa de seu poder de escrita para criar um universo só dela dentro de suas criações literárias. O enredo é apaixonante, repleto de suspense, de medo, insegurança e de muito amor e intensidade. Não há o que se falar de negativo acerca desta obra, acertaram em exatamente tudo, sobretudo, na escolha da capa que casou completamente em todos os sentidos com toda a conjuntura da obra. 

Formada em Pedagogia e Mestre em Educação, escreve desde 2007, deixou de lecionar para se dedicar à escrita de ficção e fantasia. Tem vários livros e contos publicados.

Nenhum comentário

Talvez você se interesse...
© all rights reserved
made with by Google